Chuvas no Rio de Janeiro deixam 16 mortos e ao menos 10 desaparecidos

Pior chuva da história de Angra dos Reis deixa sete mortos. Foto: Reprodução/TV Globo

Porto Velho, RO - Os temporais que atingem o Estado do Rio de Janeiro desde a noite de quinta-feira, 30, deixaram 16 pessoas mortas e dez desaparecidas.

As fortes chuvas geraram deslizamentos de terra e enchentes que castigaram principalmente o litoral sul do Estado e a Baixada Fluminense. Carros, móveis e eletrodomésticos foram levados por enxurradas.

Em Paraty, na Costa Verde do Rio, sete pessoas de uma mesma família morreram após um deslizamento de terra atingir casas na Praia de Ponta Negra. Segundo a prefeitura, choveu em dois dias o previsto para seis meses.

Em Angra dos Reis, são 7 mortos e 4 pessoas estão desaparecidas depois que um deslizamento de terra atingiu quatro casas em Monsuaba, bairro litorâneo da cidade, na madrugada deste sábado.

O município nunca havia registrado um volume de chuva tão alto em apenas 48 horas.


No período, a prefeitura registrou índices recorde: foram 655 mm na área que fica no continente e 592 mm na Ilha Grande, que também faz parte de Angra.

De acordo com a Defesa Civil, todas as 28 sirenes do sistema de alerta de Angra, distribuídas em 20 blocos que abrangem as áreas de risco, soaram durante a madrugada de ontem para alertar moradores sobre a possibilidade de deslizamentos e alagamentos.

A chuva também prejudicou vários trechos da BR-101 (Rio-Santos) em Angra dos Reis e Paraty (RJ), que estão parcialmente ou totalmente interditados após quedas de árvores e deslizamentos de terra.

“Moradores de área de risco devem se deslocar imediatamente para pontos de apoios ou outros locais seguros. Há risco muito alto para inundações, enxurradas e deslizamentos na cidade”, alertou a Prefeitura de Angra.

Em todo o Estado, há mais de 70 pontos de alagamentos. A nova catástrofe no território fluminense ocorre pouco mais de um mês após a tragédia de Petrópolis.

Não há registro de mortos na capital, mas a chuva também causou transtornos, principalmente nas zonas sul, norte e oeste. A Prefeitura do Rio de Janeiro disse que há risco de deslizamentos em morros e áreas de encostas.

Segundo o Inmet, as chuvas vão continuar castigando o Estado nos próximos dias. O presidente Jair Bolsonaro anunciou no Twitter, ontem, que “a Defesa Civil Nacional já está no RJ ajudando nas ações de resposta e no socorro às vítimas”.

Fonte: DP Redação
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem