Política & Cia: Ninguém quer assumir o endividado PSDB rondoniense


Porto Velho, RO - E o PSDB, que (por enquanto) governa o município de Porto Velho e participa da administração de mais uma meia dúzia de municípios do Estado está virando partido de ninguém. Na Assembleia Legislativa só tem um deputado, Jhony Paixão, saiu do Republicanos e não deve conseguir a reeleição. Na Câmara, perdeu a única deputada federal, Mariana Carvalho, que deu um bico na presidência Estadual do partido e fez o caminho contrário de Jhony. Foi para o Republicanos para ser candidata a senadora. Não tem senador, não governa o Estado e conta com pouco mais de uma dúzia de vereadores em todo o Estado.

Depois de mais de uma década do senador cassado Expedito Junior e sua Trupe no comando do partido e com uma breve passagem da família Carvalho, com Mariana dando as cartas ao tucanato rondoniense por pouco mais de um ano, o diretório estadual do PSDB está praticamente falido, e sem ninguém para assumir a conta de aproximadamente R$ 300 mil, uma vez que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) reprovou, por unanimidade, a prestação de contas do partido e condenou os tucanos a devolverem mais de 280 mil ao Fundo Partidário, referente as ilegalidades constatadas nas contas das eleições passadas.

Essa dívida "impagável" fez o milionário Hildon Chaves desistir de presidir a legenda, devendo também abandonar o ninho tucano depois da eleição estadual. Ieda Chaves, esposa de Hildon já abriu caminho e é pré-candidata a deputada estadual pelo União Brasil.

Os articulistas políticos da capital acreditam que o partido deve acabar no estado se não houver uma intervenção nacional, com dinheiro. Reduzido a uma espécie de estepe das legendas mais "estruturadas", o PSDB segue sem leme, à deriva, rolando de mão em mão, sem ter alguém que realmente o abrace.

Tucano de bico na testa, mas também não disposto a pagar uma conta que não é sua, o ex-prefeito de Porto Velho, José Guedes tenta resistir para que o partido não vire mais um nanico de aluguel, um penduricalho de campanha de terceiros. Mas não encontra eco em seus gritos.

A direção nacional tem conhecimento dos problemas do PSDB de Rondônia e pode ser a salvação do tucano raiz que ainda sonha com uma candidatura própria para que o partido não se torne um mero estepe do governador Marcos Rocha. Já falaram em enviar uma comissão nacional para coordenar uma nova eleição do diretório estadual, mas até o momento, sem nenhuma novidade. E nenhum dinheiro para pagar a conta.

O pleito eleitoral está chegando, as convenções batem à porta e o PSDB não tem sequer uma nominata de pré-candidatos a Assembleia Legislativa. À Câmara e ao Senado, nem se fala. Não terá candidato a presidência da República nem ao governo do Estado. É o triste fim de uma legenda que já mandou no país e ajudou a comandar o Estado de Rondônia.

Da Redação
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem