Petrobras manobra para não repassar redução

Domínio da Petrobras no mercado nacional, na prática privatizando o monopólio e privilégios de empresa estatal, é tido como responsável direto. Foto: Tomaz Silva/EBC

Porto Velho, RO - As novas alegações da Petrobras para impedir redução ainda maior nos preços dos combustíveis são acintosas.

A estatal se recusa a repassar a queda de 20% na cotação internacional. O dólar também teve forte queda, ontem, de 1,4 ponto.

As medidas do governo e do Congresso derrubaram o ICMS e o valor do litro dos combustíveis, mas a “estatal” alega “seguro, armazenagem, frete, logística” etc. e até “transporte marítimo” para negar o repasse da redução de preços ao consumidor.

Realidade brasileira

O preço na bomba é impactado pelo mercado internacional, mas somente no aumento, jamais na redução de valores.

Matemática criativa


De janeiro a março, o barril do petróleo caiu de R$513,69 a R$494,80. Mas o preço médio da gasolina foi de R$6,59 para R$7,26.

Descolado

No mês de junho, após o início do esforço do governo para combater a disparada nos preços, o barril cresceu e a gasolina diminuiu.


Fonte: Por Cláudio Humberto
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem