Governador de Rondônia fala sobre a privatização da CAERD; Flor do Maracujá definhando; e PSDB terá mediação externa

A íntegra da coluna redigida por Sérgio Pires

A REALIDADE CONTINUA SENDO IGNORADA MUNDO AFORA, SOBRE AS RIQUEZAS DA AMAZÔNIA QUE NOS SÃO ROUBADAS

Porto Velho, RO
- A notícia que acordou Porto Velho e Rondônia, nesta quinta, ainda vai se repetir dezenas e dezenas de vezes, em diferentes regiões do Estado. Já aconteceu inúmeras ocasiões e continuará acontecendo, como se fossem grandes vitórias, enquanto, na realidade, é mais um enxugamento de gelo. Vitória de Pirro, apenas! A Polícia Federal e Receita Federal fizeram autuações e prisões. Com autorização da Justiça entraram em empresas e correram atrás de possíveis criminosos, todos acusados de fazerem parte de uma quadrilha, que esquentava o dinheiro do garimpo ilegal, lavando bilhões de reais. Vamos ver este filme com tantas repetições quanto o filme Lagoa Azul, na sessão da tarde da TV.

As autoridades fazem o mesmo do mesmo, no combate ao garimpo ilegal, não só de ouro (como foi este caso), como de diamantes e tantas outras riquezas que abundam na nossa Amazônia, sempre sob os olhares atentos e gulosos de ONGs internacionais e dos países que elas representam.

Nunca vai acabar este “enxugar gelo” das ações de autoridades de todos os poderes, no combate à extração ilegal das nossas riquezas minerais; do contrabando que ocorre há décadas e da destruição da floresta, enquanto não tivermos uma legislação de controle estatal, em relação ao garimpo e a justa distribuição da riqueza que ele pode representar, através dos impostos que poderiam ser cobrados, mas até hoje, jamais são recolhidos. Infelizmente, o que há, na realidade, é o domínio demagógico dos organismos internacionais, que conseguiram empurrar goela abaixo dos Amazônidas, decisões interesseiras e leis ideológicas, que vão de encontro aos grandes interesses nacionais.

Por exemplo: investindo pesado em alguns poucos caciques, apadrinhados por ONGs e organismos de vários países, todos de olho grande na Amazônia, foi criado um aparelhamento, falseando a verdade. Tais líderes indígenas, muitos deles apenas liderando apenas a si mesmos e a um pequeno grupo, percorrem vários países, falando mal do Brasil e dizendo que os indígenas querem é continuar vivendo do jeito que vivem. Nas palestras feitas, sob aplausos animados de interesseiros e muitos idiotas desinformados, que acreditam em tudo o que ouvem e que jamais sequer estudaram algo sobre nossa realidade, isso significa uma vida com a natureza, sem interferência dos “brancos”.

A verdade verdadeira nada tem a ver com este romantismo inventado, porque, na vida real, a grande maioria dos nossos índios vive na miséria, morrendo de fome e de doenças, sem assistência alguma, embora muitas tribos estejam sentadas sobre riquezas infinitas que, se distribuídas também a eles, lhes dariam uma vida digna. O problema é que este quadro, claro, jamais é exposto perante o mundo. Não interessa falar uma verdade que eles não querem ouvir!

MAIS UMA OPERAÇÃO BEM SUCEDIDA DA PF, QUE MERECE APLAUSOS, MAS NÃO RESOLVE O PROBLEMA NEM DE PERTO

A ideologia tenebrosa, o aparelhamento de vários organismos e instituições; as leis produzidas à revelia dos maior interesses da Nação, continuam permitindo a exploração ilegal do que é de todos os brasileiros, mas que têm feito a fortuna de alguns poucos. Se controlado pelo Estado, com fiscalização rigorosa em defesa do meio ambiente, a exploração mineral (ouro, diamantes, nióbio, cassiterita, ferro, manganês, prata, platina, paládio e muito mais) significaria um combate efetivo à destruição da nossa floresta e, além disso, a distribuição de bilhões de reais em impostos, que beneficiariam a todos os brasileiros e não apenas tornaria bilionários tão poucos criminosos, que se utilizam destas leis que os beneficiam, para se tornarem cada vez mais ricos. Eles enriquecem, nós, donos de tudo, ficamos sem nada. Enquanto isso acontece, os representantes de vários países, muitos deles através de ONGs, ficam comemorando eventuais desbaratamento de pequenas quadrilhas, enquanto fecham os olhos para os bilhões que são levados daqui, de graça, todos os dias. A ação da PF desta semana descobriu uma quadrilha que lucrou bilhões de reais. Aplausos, porque bandidos têm mesmo que serem presos. Mas este valor, perto dos bilhões, bilhões e bilhões que perdemos para os estrangeiros, que invadem nossa Amazônia, é apenas uma gota d´água. O enxugamento de gelo, pelo jeito, vai continuar, assim como o domínio interesseiro e ideológico sobre nossas riquezas. Lamentável!

ROCHA FALA DA PRIVATIZAÇÃO DA CAERD, DA PARCERIA COM PREFEITURAS E DOS 233 MILHÕES PARA A CAPITAL

Pouco depois de fazer um exame por suspeita de Covid (deu negativo), mesmo com uma gripe forte, o governador Marcos Rocha participou do programa Papo de Redação, da Rádio Parecis FM, nesta quinta. Questionado pelos Dinossauros Beno Andrade, Sérgio Pires, Jorge Peixoto e Everton Leoni, Rocha falou sobre eleições, privatização da Caerd, programa Tchau Poeira; a situação da saúde e a parceria com os municípios, entre muitos outros assuntos. Sem fugir de nenhum tema, Rocha ainda respondeu a pelo menos uma dezena de perguntas dos ouvintes, embora outras dezenas não tenham sido respondidas pelo tempo de duração do programa. Sobre as ações nas cidades, Rocha destacou que tem feito uma verdadeira parceria com as Prefeituras, sejam os prefeitos aliados ou opositores. Destacou o total de 233 milhões do Estado que serão investidos na Capital, em programas em conjunto com a administração de Hildon Chaves. Sobre a nova Rodoviária, um dos questionamentos feitos, o Governador destacou que os recursos já destinados são de emenda da deputada Mariana Carvalho. O dinheiro, em torno de 20 milhões de reais, não tem relação direta com os 233 milhões que o Estado aplicará na cidade. Sobre a Caerd, Rocha diz que a estatal tem uma dívida que pode bater nos 2 bilhões de reais, mas que os técnicos do governo e da empresa, estão trabalhando junto com o BNDES para encontrar uma solução.

JOÃO PAULO II, NOVO HOSPITAL, SEGURANÇA, PARQUE DOS TANQUES E CAMPANHA POLÍTICA NA PAUTA

Questionado por um ouvinte sobre os graves problemas na saúde, Marcos Rocha se ateve principalmente à situação do João Paulo II, que, lembrou, é um problema de mais de três décadas e lembrou das obras do novo hospital de urgência e emergência da Capital, que, segundo ele, ficará pronto em, no máximo, dois anos e meio, mudando todo o quadro da saúde na Capital e no Estado. Questionado por outro rondoniense sobre o que o ouvinte considerou como resultados negativos na segurança pública, o Governador não concordou. Disse que nos últimos três anos e meio a segurança foi priorizada; foram feitos investimentos pesados em equipamentos, viaturas e pessoal e que os números da violência estão caindo, no Estado. Respondeu ainda, quando perguntado sobre o parque dos Tanques, onde havia sido projetada a construção de um Centro de Convenções no local, Rocha afirmou que ali a obra é impossível, porque a poucos metros abaixo do solo, há um antigo lixão. Mas afirmou que a área será um centro de lazer e continuará sediando feiras para o agronegócio. Sobre a campanha, o Governador afirmou que espera que ela seja dura, cheia de ataques e diz lamentar que seja assim, já que, segundo ele, jamais atacou qualquer adversário. Quando tem espaço na mídia, destacou, só o usa para falar das realizações de governo e nunca atacar quem quer que seja.

DESDE O FIM DAS TRANSMISSÕES DA TV, O ARRAIAL FLOR DO MARACUJÁ COMEÇOU A DEFINHAR

Há que se voltar ao assunto, tal a repercussão que ele teve neste espaço e, mais ainda, no mais ouvido programa do rádio rondoniense, o Papo de redação, na Rádio (Parecis FM, segunda a sexta, do meio dia às 14 horas). O empresário, jornalista, apresentador e Dinossauro, Everton Leoni, fez um longo desabafo, lembrando o que já foi e no que se transformou nosso Arraial Flor do Maracujá. Everton lembrou da grandeza do evento, principalmente durante os quatro anos em que houve transmissão, para Rondônia, para todo o Brasil e para 156 países do mundo inteiro, via Record News. “Em qualquer lugar da cidade de Porto Velho, quem não estava no Arraial, acompanhava tudo pela TV”, lembrou. Mensagens de todo o Brasil e de vários países chegavam a todo o momento, com telespectadores registrando seu encanto com o espetáculo cultural que assistiam. Em determinado momento, representantes do Ministério Público e do Tribunal de Contas começaram uma dura série de denúncias contra os contratos, como se eles tivessem sido feitos de forma ilegal. Durante anos, a situação ficou cada vez pior. Dirigentes da Associação e dos grupos, gente pobre, acabou sendo tratada como se criminosa fosse, pelas denúncias feitas. Só muito tempo depois, a Justiça não acatou nenhuma delas, mas o mal já estava feito. Nunca mais o Arraial foi transmitido pela TV. Nunca mais foi como antes. No Rádio, Everton comentou “um dia, toda a verdadeira história será contada, dando-se os nomes dos personagens!”. Tomara que sim, para que a coletividade saiba quem ajudou a destruir um dos nossos maiores patrimônios culturais.

TRE MANDA JAPONÊS DEIXAR O CARGO DE IMEDIATO E PRESIDENTE DA CÂMARA ASSUME COMO PREFEITO INTERINO

Perda do mandato. Perda do cargo. Perda dos direitos políticos por oito anos. As penas imputadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra o prefeito de Vilhena, Eduardo Japonês e sua vice, Patrícia da Glória. Ofício enviado nesta quarta, assinado pelo presidente do tribunal, desembargador Kyochi Mori, ao vereador Ronildo Macedo, presidente da Câmara de Vereadores, confirma a sentença e determina o afastamento imediato de Japonês e sua vice, de suas funções. Ambos poderão recorrer ao TSE, mas fora do cargo. A partir de agora, começa a correr o prazo para convocação de nova eleição, para o cumprimento dos 18 meses (a partir deste mês de julho) restantes do atual mandato. Com seus mandatos cassados, contando a partir de 2020, Japonês e Patrícia, portanto, não poderão se habilitar, se o quisessem, a disputar o pleito extra, cuja data ainda é desconhecida. Os dois somente podem voltar a disputar cargos públicos em 2028. Japonês é o quarto prefeito de Vilhena envolvido em rolos com a Justiça Eleitoral ou com a Justiça comum. Antes dele, enfrentaram o mesmo calvário, os ex-prefeitos Zé Rover, Marlon Donadon e Rosani Donadon. O presidente da Câmara, Ronildo Macedo, será o Prefeito interino da cidade.

CORRIDA PELA CÂMARA TEM MUITOS NOMES CONHECIDOS E CARAS NOVAS, ALÉM DO TRIO QUE NÃO CONCORRE À REELEIÇÃO

A corrida pela Câmara Federal continua muito acirrada. Nomes conhecidos e caras novas sonham com uma das oito cadeiras destinadas aos rondonienses. Na Capital, além dos que já estão lá (entre eles Mauro Nazif, Expedito Netto e Coronel Chrisóstomo), surgem novas lideranças a todo o momento. A jornalista Cristiane Lopes, do União Brasil, que tem aparecido com destaque em todas as regiões da Capital. Outro nome que cresce entre o eleitorado da Capital é o do advogado Breno Mendes, do Avante. O presidente da Organização das Cooperativas de Rondônia, Salatiel Rodrigues, do PL, também tem sido lembrado como um nome viável, também com possibilidades de chegar lá. Novas caras na política rondoniense também têm surgido, na corrida pela Câmara. Um deles é de Jair Gomes, o Jair da Top Car, empresários com loja de produtos automotivos em São Francisco do Guaporé, onde reside, mas também em Porto Velho. Filho do ex-secretário municipal Jair Ramires, que deixou seu nome na história de Porto Velho, ele já concorreu na última eleição municipal em São Francisco e sonha com um mandato federal. Entre os atuais parlamentares, outro destaque é o coordenador da bancada, o deputado Lúcio Mosquini, que vai em busca do seu terceiro mandato e que vem do interior com um caminhão de votos. Outra que se destaca na batalha pelas cadeiras e que busca novo mandato, é a deputada Silvia Cristina, que deixou o PDT pelo PL. Três dos atuais parlamentares estão fora da corrida pela Câmara: Mariana Carvalho e Jaqueline Cassol vão disputar o Senado e Léo Moraes irá ao Governo.

COMANDO NACIONAL DO PSDB ENVIA DEPUTADO DO AMAPÁ PARA TENTAR ACORDO QUE MANTENHA TUCANATO VIVO

A novela do PSDB rondoniense está longe de terminar. Não perca! Nos capítulos anteriores, o partido ficou esvaziado, com a saída de praticamente todos os nomes importantes que eram tucanos. Ficou Hildon Chaves, convidado pelo diretório nacional para comandar o partido. Hildon topou, mas menos de 24 horas depois foi procurado por um dos credores do partido (há muitos outros), cobrando uma dívida de 300 mil reais, da campanha passada. Como havia avisado que só assumiria caso as finanças do tucanato estivesse sob controle, o prefeito da Capital caiu fora não só da presidência, como está se preparando, também, para deixar o ninho. Um dos únicos nomes que permanecem firmes no PSDB é José Guedes, o ex-prefeito da Capital e ex-deputado Constituinte, que quer disputar o Governo. Como o quadro está nebuloso, o comando nacional designou a ex-deputada (também Constituinte), Moema São Thiago, para vir a Rondônia, analisar a situação e tentar uma conciliação no partido. Por problemas pessoais ela não pode vir e, em seu lugar, virá o deputado Luiz Carlos, tucano do Amapá. A missão será a mesma: fazer um rescaldo do partido, tentar unir lideranças e forças, para que o PSDB, que já foi um dos grandes partidos no Estado, não se torne um nanico. Em breve, novos capítulos.

PL OUVE POPULAÇÃO POR REDES SOCIAIS, PARA CRIAR PROGRAMA DE GOVERNO DE MARCOS ROGÉRIO

Ouvir a população, antes de decidir: a tática foi adotada pelo Partido Liberal, o PL rondoniense, para a criação do plano de governo que o candidato do partido, o senador Marcos Rogério, apresentará aos rondonienses. Em plataforma disponível nas redes sociais do partido e do pré-candidato, é possível o envio de sugestões para qualquer área de interesse público. Os principais eixos temáticos são: saúde, educação, segurança pública, infraestrutura, saneamento, agricultura, meio ambiente, trabalho e emprego e esporte e lazer. Além da consulta on-line, o PL está realizando consulta presencial em diversas cidades. O Plano de Governo Participativo já alcançou Ariquemes, Jaru, Machadinho, Ouro Preto do Oeste, Ji-Paraná, Cacoal, Rolim de Moura, Vilhena, São Francisco do Guaporé e Costa Marques. Enquanto isso, o candidato ao Senado pelo PL, Jaime Bagattoli, está convidando para o “Encontro da Direita de Rondônia”, que acontecerá neste sábado, dia 9, na Associação Comercial e Industrial de Ariquemes, a partir das 10 horas da manhã. Na divulgação do encontro, ao lado de Bagattoli, fotos do presidente Jair Bolsonaro e do senador Marcos Rogério.

PERGUNTINHA

Qual sua reação ao ir a um posto de gasolina em Porto Velho e comprar um litro por 6,09 centavos, 1 real e 30 centavos a menos do que se pagava, em média, na semana passada?

Fonte: Por Sérgio Pires
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem