Servidores municipais de Porto Velho terão reajuste de até 10,06% a partir de maio



Porto Velho, RO - A proposta encaminhada pelo prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, que determinou a recomposição salarial aos servidores municipais, foi aprovada por unanimidade pela Câmara de Vereadores nesta quarta-feira (13).

Dessa forma, a partir de 1º de maio, Dia do Trabalhador, será aplicada a recomposição salarial para o quadro geral de servidores. A atualização será de 10,06% em cima do rendimento. Outra revisão também alcança o auxílio-alimentação, que recebe atualização de R$ 330,00 para R$ 500,00. Também foi aprovado o auxílio fardamento no valor de R$ 1.200,00 para os trabalhadores lotados na Semusb, Semagric, Semob, Sema, e Semad, que ficam obrigados a utilizarem uniformes no ambiente de trabalho. O mesmo benefício será pago aos agentes comunitários de saúde e agentes de combate a endemias do município.

Outro ponto discutido foi o aumento percentual na remuneração de servidores efetivos da Prefeitura que hoje respondem por algum cargo comissionado. “Era uma demanda antiga. Agora, esse percentual sobe de 60% para 80% para aqueles servidores efetivos, hoje exercem algum cargo de comissão no município”, acrescentou o prefeito.

O prefeito agradeceu o empenho dos vereadores e enalteceu o trabalho e a importância de todos os servidores municipais. “Graças ao apoio incondicional desta Casa de Leis, o trabalho incansável dos nossos servidores e o apoio da população, nós estamos dia a dia transformando a nossa cidade em uma capital de verdade”, afirmou ao fazer uso da tribuna.

Piso dos professores
Hildon Chaves também anunciou a aplicação de 33,24% do piso salarial de professores com magistério da rede municipal de ensino de Porto Velho, seguindo a legislação nacional. “Esse valor vai melhor atender nossos profissionais do magistério. O valor será aplicado integralmente a partir do dia 1º de maio de 2022”, explicou.

O piso salarial da categoria é o valor mínimo que deve ser pago aos professores do magistério público da educação básica em início de carreira para a jornada de no máximo 40 horas semanais. Esse ajuste é a maior correção salarial concedida à categoria desde o surgimento da Lei do Piso, em 2008.

“O que a prefeitura está fazendo é colocar em execução os direitos basilares da educação. Essa atualização é resultado de uma gestão econômica cautelosa que vem de encontro às reivindicações da nossa área e de nossos servidores”, afirmou a secretária municipal de Educação, Gláucia Negreiros.

“A equação da máquina pública não é algo simples, mas buscamos sempre equilibrar os investimentos necessários para nossa cidade e com a devida valorização de nossos servidores”, finalizou o prefeito Hildon Chaves.
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem