Privatização da Eletrobras é decisiva para segurança energética, diz Paulo Guedes

 O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a conta de luz do brasileiro cairá “18% mês que vem, sem canetada”.


Porto Velho, RO - O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a conta de luz do brasileiro cairá “18% mês que vem, sem canetada”.

Guedes se referiu ao fim da bandeira escassez hídrica, em vigor desde setembro do ano passado, e à adoção da bandeira verde na conta de luz a partir do dia 16, uma antecipação, portanto, em relação ao prazo esperado para troca da bandeira, que seria o final do mês.

Apesar de ser uma decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a nova bandeira foi anunciada na quarta-feira pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Apesar de, nas contas do governo, a conta de luz passar a ter redução de cerca de 20% com a medida, especialistas alertaram que a queda vai ser diluída com os reajustes tarifários das distribuidoras, que serão estabelecidos ao longo deste ano.

A PSR, maior consultoria de energia elétrica do Brasil, estima que, em média, esses reajustes serão de 15%. Computados os aumentos tarifários em 2022, a redução média na conta de luz do consumidor residencial deve ser de 6,5%.

Eletrobras
Nesta quinta-feira, em evento do Banco do Brasil, o ministro afirmou que a privatização da Eletrobras envolve o “futuro da energia brasileira”, que está em jogo.

A Eletrobras, disse Guedes, tem um “belíssimo passado, mas atingiu seus limites”.

A atual guerra no Leste Europeu segundo Guedes, acelerou a necessidade de uma transição energética, ao mesmo tempo em que a empresa tem perdido sua capacidade de investimento.

“Se o Brasil crescer como esperamos que cresça nos próximos anos a uma taxa mais forte, a Eletrobras não consegue ter a capacidade de investimento com a atual configuração societária dela”, afirmou, ao dizer que a capitalização da empresa é “passo decisivo para segurança energética brasileira”.

Guedes repetiu que o governo está na fase final da capitalização da estatal.

Fonte: Canal Rural

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem