Acaba nesta segunda-feira prazo para entrega de filiações ao TRE



Porto Velho, RO - Há poucas horas da entrega definitiva das relações de candidatos de todos os partidos para a Justiça Eleitoral, a correria do final de semana está sendo intensa, certamente. Embora o troca-troca de partidos esteja proibido desde 2 de abril, a vida real aponta que haverá, ainda, fichas sendo rasgadas e outras assinadas até a 25ª hora, como sempre aconteceu e vai continuar acontecendo nos períodos pré-eleitorais brasileiros e rondonienses.

Tanto em nível nacional quanto local, há partidos que têm nomes de sobra para a disputa e outros que, ainda, estão correndo atrás, principalmente de candidatas mulheres. Elas já são em bom número nas nominatas fechadas, mas nem todas as siglas e nem todas as poucas federações já conseguiram o número suficiente de candidatas. Mais: só na noite de segunda-feira haverá respostas menos evasivas, por exemplo, sobre quem vai disputar o Senado.

Há quatro nomes postados e outros que ainda podem entrar, mas até o último momento haverá dúvidas. Certos mesmo estão Jaqueline Cassol, do PP e Amir Lando, do MDB, pelo menos até agora. Mariana Carvalho (Republicanos) deve ir ao Senado, mas pelo menos até o sábado, não tinha oficializado sua decisão, ao menos publicamente. Expedito Júnior também deve ser confirmado, mas pelo PSD, partido presidido por seu filho, o deputado federal Expedito Netto, ambos aliados ao senador Marcos Rogério, do PL, que vai ao Governo.

Um nome dos mais quentes, mas que até agora não conseguiu garantia do PL de que será o candidato ao Senado, é o do megaempresário do agronegócio, Jaime Bagattoli, o homem dos 212 mil votos em sua primeira participação na política rondoniense. O senador Marcos Rogério já o avisou que não há compromisso partidário do PL que garanta a vaga a Jaime, mas ele está mobilizando a militância bolsonarista para ser o indicado.

O PT já indicou Ramon Cujuí para a disputa, mas ele pode até mudar de planos, caso um dos partidos com quem os petistas estão conversando, queiram indicar outro nome. Neste caso, Cujuí abriria mão da sua indicação. Outra dúvida que deve ser esclarecida até o amanhecer da terça-feira, quando todas as relações estarão nas mãos do TRE: Vinicius Miguel, agora no PSB de Mauro Nazif, concorrerá ao Governo, ao Senado ou à Câmara Federal?

Todos os partidos estão fechando suas nominatas para a Câmara Federal e Assembleia Legislativa. Todos fazendo contas, todos contando que os nomes escolhidos para suas relações de postulantes, possam realmente atingir o número necessário de votos, para que consigam eleger um, dois ou mais representantes. Até as convenções, contudo, muita coisa pode mudar. 

Nomes hoje postos podem desistir pelo caminho, infelizmente a morte, tão cruel para todos, pode tirar personagens das nominatas e, ainda, discordâncias, brigas, confusões por interesses, ainda poderão mexer neste pacote enorme de pretendentes aos cargos legislativos, tanto em nível nacional quanto estadual. Podem aparecer ainda candidatos ao Senado, à Câmara Federal e Assembleia até agora fora dos planos. Mas, no geral, o quadro está montado. Saberemos mais quanto o TRE fornecer ao público, as informações sobre cada partido e eventuais federações firmadas. 

A eleição bate à porta. Tudo se definirá nas convenções que começam em julho. Faltam cinco meses e meio, que passarão voando!

Fonte: Sérgio Pires
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem