Vendas crescem nos supermercados, porém de produtos mais baratos

CONSUMIDOR ESTÁ TROCANDO MARCAS FAMOSAS PELAS MAIS BARATAS


Porto Velho, RO - O mês de fevereiro registrou queda na indisponibilidade de produtos nas gôndolas das principais redes de supermercados do país. É o que mostra o levantamento da Neogrid, empresa especializada em soluções para a gestão da cadeia de suprimentos.

No último mês, o índice geral de ruptura ficou em 10,9%, diante de 11,7% registrado em janeiro. A diminuição pode ser explicada pela redução no sortimento de mercadorias nas gôndolas, reflexo de fatores como inflação em alta, perda do poder aquisitivo e instabilidades no mercado internacional de commodities face o conflito Rússia-Ucrânia.

“Tanto do varejo quanto da indústria, a percepção que tivemos é que fevereiro foi um mês melhor em vendas, mas de produtos mais baratos: há essa migração e, quando o consumidor encontra uma oferta, ele acaba comprando mais”, explica Robson Munhoz, CCSO (Chief Customer Success Officer) da Neogrid.

De acordo com Munhoz, nesse sentido, a ruptura caiu não apenas pela busca de produtos mais baratos, mas também porque o sortimento reduziu – sem a reposição de itens e/ou marcas mais caros, por exemplo. “Há a redução de sortimento tanto sob um movimento da indústria em querer repassar o menor aumento de preço quanto do próprio varejista. Então, o setor supermercadista, entendendo que não vai vencer a inflação, reduz seu mix de marcas e itens – e nisso as marcas mais caras somem”, complementa.

O leite foi uma categoria que, de acordo com os dados da Neogrid, registrou menor sortimento, com consequente venda de itens mais baratos, no mês de fevereiro. Devido à redução no preço médio ao longo dos últimos meses, o item vem mantendo tendência de alta no carrinho de compras desde janeiro.

Fonte: Terraviva

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem