Indústria contribui para MT ter maior saldo da balança comercial

Dentre os produtos exportados, o complexo soja continua ocupando a 1ª posição com US$ 1,8 bilhão

Porto Velho, RO - Em fevereiro, Mato Grosso voltou a ocupar o primeiro lugar entre os estados brasileiros em saldo da balança comercial.

Neste período, as exportações excederam as importações em US$ 2,17 bilhões.

Estes sãos alguns destaques da edição deste mês do Boletim Comex MT, elaborado mensalmente pelo Centro Internacional de Negócios (CIN), da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt).

Segundo as informações analisadas pelo CIN, a participação mato-grossense nas exportações brasileiras chegou a 10,77%, em 2022.

O número demonstra um aumento de cerca de dois pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano passado, quando alcançou 8,98% nas participações.

Para o supervisor do CIN, Antônio Lorenzzi, os dados demonstram que a pauta exportadora está desenvolvida e segue competitiva, já que os produtos mato-grossenses têm sido comercializados em diversos mercados.

“Quando o saldo da balança comercial é positivo quer dizer que o valor das exportações foi superior ao das importações. Analisando o último ano, nas receitas de exportações, o resultado foi superior a R$ 100 bilhões nas operações do País, o que revela o forte impacto do comércio exterior na nossa economia”, afirma.

Dentre os produtos exportados, o complexo soja continua ocupando a 1ª posição com US$ 1,8 bilhão, seguido do algodão, com US$ 260 milhões e da proteína animal que obteve US$ 205 milhões.

Além disso, os dados apontam para a retomada do crescimento nas exportações de carne bovina (80,42%), que foi um dos principais produtos exportados pela indústria. Atualmente, o Estado negocia com 96 países, destacando-se principalmente nos mercados da China, Tailândia, Espanha e Vietnã.

Outro setor que está em ascensão é o do açúcar de cana em bruto, com uma variação positiva de 40,18% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

IMPORTAÇÕES

O volume das importações apresentou uma redução de 29,81% enquanto a receita das operações cresceu 60,72%.

O que explica essa diminuição é a predominância de adubos e fertilizantes nas importações de Mato Grosso, visto que esses produtos tiveram frequentes aumentos de preço nos últimos meses.

O especialista aponta a necessidade de atenção para essa redução. “Ao mesmo tempo em que este enorme saldo na balança comercial é positivo para economia do Estado, pode também sinalizar a necessidade de aperfeiçoamento no sentido de alavancar a importações, as quais também são frutuosas para a economia mato-grossense”, ressalta Lorenzzi.

Nas importações, os principais produtos foram: insumos agrícolas, combustíveis minerais, óleos e ceras, veículos aéreos, peças para máquinas e máquinas industriais.

Fonte: Por Marianna Peres da reportagem DC
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem