Como criar um ambiente pet friendly em casa para seu animal de estimação

Moderna, a mesa Tippi Hedren permite a circulação de aves pela estrutura aramada.| Foto: Divulgação

Porto Velho, RO - Que os pets fazem parte da família já não é nenhuma novidade. Cada vez mais integrados ao dia a dia, os animais de estimação ganharam espaço nos lares e ter uma companhia é uma tendência crescente. Entre os cuidados essenciais que se deve ter ao se tornar um tutor, está o de proporcionar um ambiente aconchegante.

Levar conforto ao animal através de um espaço agradável diminui o estresse e, consequentemente, melhora sua saúde. E, contrariando o senso comum, a estética não precisa ser deixada de lado para atingir esse objetivo. Há diversas opções para que a decoração da casa ou do apartamento mantenha a elegância mesmo com a presença dos bichinhos.

Diversão na decoração



O pet no centro de tudo: a decoração deve respeitar as individualidades de cada animal.| Bigstock

Exploradores por natureza, os gatos fazem dos saltos pelas estantes e prateleiras uma grande aventura. A criação de circuitos integrados ao mobiliário com nichos e suportes se torna uma escolha interessante. A arquiteta Ana Johns elaborou um projeto que explorou esta característica para um apartamento em que, além das proprietárias do imóvel, vivem quatro gatos. “É importante entender que tipo de ambiente o pet vai precisar. Sendo um gato, pensamos na criação deste espaço utilizando o elemento altura, por eles conseguirem e gostarem de escalar. Também é importante pensar no melhor piso, nos tecidos, tipos de tapete, tudo de acordo com o seu pet, para conseguir a melhor solução”, afirma Ana.

Atualmente, a designer de interiores Sheila Jesus também está trabalhando na "gatificação" de um apartamento de uma cliente na cidade de Ponta Grossa, nos Campos Gerais. “Nosso papel como profissional é fazer com que a decoração de interiores não seja afetada com aqueles brinquedos que são mais comuns, facilmente encontrados em pet shops.

O desafio é deixar o apartamento de uma forma que você não consiga identificar que determinado item é uma escada para o gato. O arranhador, o comedouro, a caixa de areia, tudo é planejado, até mesmo a altura dos armários, para que eles possam subir e circular em segurança”, explica Sheila. O projeto também conta com portas que têm uma abertura redonda para a passagem dos animais. Ela também destaca a importância das redes de proteção nas janelas de todo o apartamento, para evitar acidentes com os felinos.

Conforto e cuidado com o mobiliário


No caso dos gatos, explorar a altura é fundamental.| Marcelo Stammer


De pequeno ou de grande porte, os cães costumam precisar de atenção especial principalmente em locais não tão espaçosos, como apartamentos. Itens como mesas, estantes e racks podem servir como lugares de descanso, desde que adequados para tal. Mesas de centro com design pensado para acomodar os comedouros trazem praticidade e conforto.

Outra preocupação que o tutor deve ter é com a durabilidade dos móveis. Alguns cães, especialmente no período em que a dentição está sendo renovada, costumam roer e morder o que estiver pela frente. Além da destruição do mobiliário, resquícios de madeira, plástico ou tecidos podem acabar sendo engolidos pelos animais, causando potenciais problemas de saúde.

Também é importante investir em mordedores e até em sprays repelentes (totalmente atóxicos), que contribuem para que os móveis fiquem intactos. Apostar em itens exclusivos para os bichinhos é outra opção, como pufes ou camas que não fiquem deslocadas do restante da decoração.

Atualmente, há no mercado móveis que buscam integrar o animal ao ambiente de forma elegante e prática. Um exemplo é a mesa Chanel, criação do designer Sergio Stark, para DonaFlor Mobília. O item é composto por base e tampo de alumínio e possui uma gaiola com trama em corda náutica e futon, que pode ser utilizada logo abaixo da mesa, pendurada por um gancho, ou separadamente. Além disso, ela pode ser facilmente higienizada. A peça foi inspirada na Chanel, a mascote da família Stark.


Mesa Chanel, criação de Sergio Stark para DonaFlor Mobília, inspirada no pet do designer.| Rafael Motta

Outros pets

Como qualquer outro animal, as aves precisam de um espaço amplo, que atenda suas necessidades. Pensando nisso, a designer curitibana Daniele Ducate utilizou uma das sacadas de seu apartamento para que as dez calopsitas que fazem parte de seu convívio pudessem se manter ativas. A designer teve sua primeira calopsita há doze anos.“Tenho percebido que a calopsita é um pet que está cada vez mais presente nos lares. Elas são muito inteligentes, supercompanheiras e dóceis”, relata Daniele.

Na churrasqueira da sacada foi preparado um nicho para que as aves possam repousar. Uma gaiola, que fica permanentemente aberta, também está no espaço. As portas de vidro permitem visualizar os animais o tempo todo. “A prioridade é entender a ave e saber o que você precisa evitar para preservar a saúde do animal. Eles não podem receber muito vento, precisam tomar sol em determinados horários do dia, e precisam de água, pois gostam de se banhar. Comprei recentemente, inclusive, uma piscina que é própria para a ave”, detalha Daniele, que utiliza até mesmo um tablet com vídeos de treinamentos para entreter as calopsitas.


Moderna, a mesa Tippi Hedren permite a circulação de aves pela estrutura aramada. | Divulgação

Para a escolha dos móveis, já existem marcas voltadas exclusivamente ao público dos tutores de animais, como a brasiliense Cazu, que cria móveis pet friendly para casa ou escritório. Um dos produtos que chama a atenção é a mesa Tippi Hedren, assinada pelo arquiteto Eduardo Brito, composta por uma estrutura aramada de ferro, com corredores e espaços que permitem o livre trânsito de aves como papagaios e calopsitas.

Outros tipos de animais que têm se tornado comuns são os coelhos, chinchilas, porquinhos-da-índia, entre outros roedores. Neste caso, é recomendável que eles tenham um espaço próprio e que não tenham acesso à maior parte dos móveis ou aos eletrônicos, pois podem roer os fios. Assim como as aves, comumente estes animais são alocados em gaiolas apertadas, causando um estresse desnecessário. A recomendação é sempre priorizar o conforto do animal, buscando gaiolas ou casinhas espaçosas.


No projeto de Ana Johns, brinquedos e circuitos foram integrados ao mobiliário e trazem sutileza à decoração. | Marcelo Stammer

Fonte: Por Yuri Casari, especial para HAUS
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem