Programa de crédito inovador do Deputado Laerte Gomes tem gado como garantia

Em Rondônia o criador de gado, inclusive o arrendatário tem acesso às linhas de créditos tendo o rebanho como garantia

Porto Velho, RO - Foi lançado em Ji-Paraná na sexta-feira (25) o Programa de Garantia de Crédito para alienação bovina a operações financeiras. O programa apresentado pelo deputado estadual Laerte Gomes (PSDB/Ji-Paraná) e aprovado na Assembleia Legislativa (Ale) possibilita acesso a créditos no setor rural tendo como garantia o rebanho bovino.

O programa do deputado Laerte Gomes “é inovador, revolucionário e único no País”, segundo o presidente da OCB-RO, Salatiel Rodrigues e será fundamental para garantir recursos financeiros, através de financiamentos por estabelecimentos de crédito. Rondônia tem sérios problemas de regularização fundiária, situação solucionada com o gado como garantia de os empréstimos, fortalecendo as garantias para as cooperativas de crédito.



O acesso a créditos com juros baixos, carência e prazos longos era impossível em Rondônia, porque boa parte das propriedades rurais carecem de regularização. Com a aprovação do programa do deputado, “o produtor não terá dificuldades para acessar as linhas de crédito dos agentes financiadores”, argumenta Laerte Gomes.

O programa, além de beneficiar o proprietário também atende as necessidades de os arrendatários, porque a garantia do acesso aos financiamentos é o gado. Apesar de recente, a garantia de alienação bovina, primeira no país, já conta com mais de mil cabeças alienadas junto aos estabelecimentos de crédito, garantindo recursos financeiros aos produtores, mesmo que ele não seja o dono da terra.

“Hoje o produtor, o criador de gado de Rondônia, já pode acessar ao programa nas casas financeiras, inclusive cooperativas, com garantias de linhas de créditos, juros baixos, carências e prazos longos”, disse Laerte Gomes no lançamento oficial do programa em Ji-Paraná.

Marcaram presença na solenidade de lançamento do programa representantes da Secretaria de Estado da Agricultura-Seagri, Emater, bancos do Brasil e da Amazônia, Caixa Econômica Federal e de todo o sistema das cooperativas de crédito no estado.
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem