Cremero interdita hospital em Rondônia por tempo indeterminado

Interdição ética-médica total foi no Hospital de Pequeno Porte Francisco Amaral de Brito no município de Parecis por tempo indeterminado até que as irregularidades apontadas no Relatório de Fiscalização n. 91/2021/RO sejam cumpridas e comprovadas em nova avaliação por este Conselho.



Porto Velho - Na manhã da sexta-feira (11), uma comitiva do Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero) realizou a interdição ética-médica total do Hospital de Pequeno Porte Francisco Amaral de Brito no município de Parecis por tempo indeterminado até que as irregularidades apontadas no Relatório de Fiscalização n. 91/2021/RO sejam cumpridas e comprovadas em nova avaliação por este Conselho.



As denúncias, confirmadas, iniciaram em 2008 por meio de uma Ação Civil Pública da Promotoria de Santa Luzia do Oeste contra o município e Estado de Rondônia (Processo n. 0011560-18.2008.822.0018), em relação à ausência de profissionais das mais variadas especialidades, medicamentos e insumos. “Entretanto, mesmo tendo sido julgada a sentença há quase dez anos, os problemas persistem com muita gravidade. Paredes mofadas, janelas tampadas com papelão, ambulância sem equipamentos, hospital sem desfibrilador e sem material básico, pacientes de covid sem isolamento, entre outras irregularidades”, afirmou a presidente do Cremero, Dra. Ellen Santiago.

 

Além do departamento jurídico do Cremero e do diretor de fiscalização, Dr. Cleiton Bach, fez parte da vistoria a promotora de justiça Dra. Daeane Zulian Dorst e o representante do hospital. “Foram emitidos termos de notificações informando as necessidades que já se faziam urgentes. Nenhuma medida mínima efetiva foi adotada para melhorar as condições de atendimento no referido hospital, resultando neste momento na interdição total em que por determinação do Cremero, nenhum médico está autorizado a atuar”, ressaltou a promotora.


Fonte: Assessoria Cremero

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem