Bandeiras deixaram térmicas nadando em dinheiro



Complexo Termelétrico Parnaíba no Maranhão. Foto: Divulgação Eneva

Porto Velho, RO - O Brasil virou o “eldorado das termelétricas”, que são a mais cara, atrasada e poluente geração de energia. Nem os ambientalistas se importam com a geração sua suja, queimando combustíveis fósseis.

Nunca faturaram tanto, com os valores dos contratos de até R$25 milhões ao dia. Só a Eneva, do BTG Pactual de André Esteves, ganhou tanto com as contas de luz de 2021, de valor pornográfico, que decidiu distribuir R$35 milhões aos membros do conselho de administração.

Mais que banco

O conselho de uma termelétrica receberá mais que o triplo dos R$10,3 milhões presenteados pelo Itaú Unibanco aos seus conselheiros.

Escassez malandra

Após tocar o terror sobre riscos de apagão por “escassez hídrica”, as termelétricas foram acionadas sem demora. Sob custos astronômicos.

Resgate no cativeiro

A “escassez hídrica” levou os “consumidores cativos” a pagar contas de luz com “bandeira tarifária vermelha patamar 2”, a mais alta de sempre.

Toda pinta de lorota

Não faltou água na torneira, durante a “escassez hídrica” de 2021, mas impôs aos brasileiros a mais cara a conta de luz de todos os tempos.


Fonte: Por Cláudio Humberto
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem