PTB pode ir com Rocha em Rondônia; expectativa maior é com o MDB; e Prefeitura de Porto Velho investe R$ 30 mi na Capital

A íntegra da coluna redigida por Sérgio Pires

MULHERES DOMINAM O ELEITORADO EM RONDÔNIA E NO BRASIL, 225 MIL DAS CONTROVERSAS URNAS ELETRÔNICAS SERÃO USADAS

Porto Velho, RO - Os números fecharam, em Rondônia em todo o país. No Brasil, eles apontam mais de 156 milhões com aval para comparecerem nas urnas, no final deste ano. No nosso Estado, nos últimos dois anos, o eleitorado cresceu quase 3,5 por cento, em relação à última eleição municipal, quando foram eleitos todos os prefeitos, o total de homens e mulheres aptos a votar em outubro próximo cresceu perto de 41 mil pessoas. Na última disputa eleitoral, tínhamos 1.190.505 eleitores. Para este ano, quando serão escolhidos Presidente da República; Governadores; membros das duas casas do Congresso Nacional e para as 24 cadeiras da Assembleia Legislativa, o total subiu para 1.230.987. Porto Velho se mantém como o maior colégio eleitoral, com 350.676.

No Estado, as mulheres são novamente maioria, entre os que estão aptos a irem às urnas. Elas são quase 640 mil, representando 51,13 por cento do total. Na soma, há mais 27.890 eleitoras do que eleitores. Outra curiosidade: entre os jovens que vão votar pela primeira vez, aos 16 anos completos, o total chega a 6.888, com as garotas em maioria. Nesta faixa etária, elas são 4.688, contra 3.200 dos garotos. O maior percentual dos eleitores é na faixa dos 45 aos 59 anos. Eles representam 302.460 pessoas ou 24,5 por cento do total de votantes.

Neste público, há mais 3.464 mulheres do que homens. Mais um destaque: mesmo sem necessidade de comparecer aos postos de votação, estão registrados nada menos do que 80.740 eleitores entre os 70 até os 80 anos ou mais. Depois da Capital, as cidades com maior número de eleitores registrados são: Ji-Paraná, com 92.645; Ariquemes, 70.026; Cacoal, 66.611 e Vilhena, 65.655.

Embora ainda haja contestações, o Tribunal Superior Eleitoral, presidido pelo ministro Edson Fachin, tem reiterado que há segurança total para as cerca de 225 mil urnas eletrônicas que serão utilizadas. Fachin, aliás, destacou como “impressionante” o total de eleitores no país e afirmou que o sistema eletrônico chega aos seus 25 anos, como, nas palavras dele, “totalmente seguro, transparente e auditável”, embora essas afirmações sejam contestadas praticamente todos os dias pelo presidente Jair Bolsonaro e seus seguidores.

Contudo, não importa qual o lado do eleitor, não há como esquecer que a Justiça Eleitoral completa 90 anos de existência e, desde que a plena democracia voltou ao país, na década de 80, o resultado das urnas raramente foi contestado. Para a disputa eleitoral deste ano, a grande maioria das urnas eletrônicas (206 mil das 225 mil a serem usadas), já foram distribuídas aos TREs. Para outubro e o segundo turno, as urnas fabricadas em 2006 e em 2008 serão substituídas pelos novos modelos.

Espera-se, enfim, que a democracia seja a grande vencedora na complexa disputa deste 2022.

CONVENÇÕES: PARTIDOS JÁ AGENDAM SEUS ENCONTROS, MAS MAIOR EXPECTATIVA É COM O MDB

Faltando 21 dias para o final das convenções, os partidos ultimam suas conversações internas e externas, tentando fechar acordos para a eleição de outubro. O União Brasil faz sua convenção no dia 4 de agosto; o PL o fará no dia seguinte, 5; o MDB também para o dia 5. O Republicanos será na mesma data do União Brasil. Várias outras siglas (PSC, Podemos, PTB, Avante, Patriotas, entre outros), também ou já realizaram ou ainda vão realizar suas convenções. Uma das mais esperadas é a do MDB. O partido, que em encontros recentes teve confrontos sérios (quem esquece a bofetada do ex-deputado e ex-prefeito de Porto Velho, Tomás Correia, no então chefe da Casa Civil do governo, Emerson Castro, quando a convenção escolheu Confúcio Moura e Valdir Raupp para disputa ao Senado? Dessa vez, a situação está bem mais pacificada, mas a divisão interna ainda permanece. O presidente regional da sigla e hoje uma das grandes lideranças do partido em Rondônia, o deputado Lúcio Mosquini, que comanda a maior ala emedebista, está trabalhando (embora não comente nada ainda, ao menos publicamente), para o apoio do seu partido à reeleição de Marcos Rocha. Já a turma confunciana, ou seja, do senador Confúcio Moura, declarou guerra a ao governo Rocha, como seu líder. Além disso, Mosquini é, há três anos, vice-líder do presidente Bolsonaro, deve apoiar o atual Presidente, enquanto Confúcio é totalmente de oposição ao atual governo federal. O que se ouve nos bastidores é que, no diretório, Mosquini tem maioria e, ainda, o apoio do ex-semnador e aonda poderoso emedebista Valdir Raupp. Em breve, saberemos de mais detalhes...

A TENTATIVA DE PROIBIR O USO DA BANDEIRA NACIONAL NA CAMPANHA ELEITORAL, PODE SE TORNAR UM TIRO QUE SAIU PELA CULATRA?

Durou muito pouco o devaneio do ativismo jurídico, ato praticado por uma juíza de uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul, que decidiu que a bandeira nacional não poderia ser usada durante a campanha eleitoral, numa das decisões mais criticadas de um membro da Justiça brasileira dos últimos tempos. Nem as piores decisões de alguns ministros do STF, acusado em v[arias ocasiões por ter se transformado num braço político contra o atual governo, chegou a receber tantos protestos, quanto a tão criticada decisão de Sua Excelência, a juíza Ana Lúcia Todeschini. Nesta sexta-feira, por seis votos a um (inacreditável, mas houve um voto apoiando a discutida decisão, vindo da relatora, a desembargadora Valderlei Puglici.), o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande, tornou sem efeito a decisão da magistrada. No final das contas, a tentativa da juíza gaúcha, que tentou impedir o uso de um símbolo que pertence a todos os brasileiros, como se fosse apenas mote de campanha, para beneficiar “um dos lados”, conforme alegou na sua decisão, obviamente sem citar os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, pode acabar se tornando um tiro que saiu pela culatra. Muitos brasileiros que até agora nem estavam participando ativamente da campanha, se indignaram com a atitude. No final das contas, a magistrada acabou ajudando exatamente a quem estava prejudicando, com sua inusitada decisão.

PTB FAZ CONVENÇÃO NESTE PRÓXIMO SÁBADO E DEVE CONFIRMAR APOIO À REELEIÇÃO DE MARCOS ROCHA AO GOVERNO

Não é oficial, mas quase. O PTB rondoniense, comandado pelo ex-deputado federal Nilton Capixaba, deve apoiar a busca pela reeleição do governador Marcos Rocha. Mesmo assediado por outras candidaturas, Capixaba já teria batido o martelo. O que não está definido ainda é se o partido, que virá com nominatas fortes para a Câmara Federal e Assembleia Legislativa, vai acompanhar o grupo palaciano no apoio à candidatura de Mariana Carvalho ao Senado, embora seja essa a tendência. Tudo será definido na convenção oficial do partido, que se realizará em Porto Velho no próximo dia 23, ou seja, no próximo sábado. Capixaba, que jpa foi um parlamentar ativo, embora controvertido, não será candidato. A relação de nomes para a bancada federal ainda não foi fechado, mas será anunciada na convenção, que se realizará à tarde do sábado, na Câmara Municipal de Porto Velho. Já para a Assembleia, a nominata do PTB está forte. Ela começa, aliás, pelo nome quentíssimo do duas vezes vereador Aleks Palitot, que por poucos votos já não assumiu uma cadeira no parlamento estadual na legislatura passada. Também vão compor o grupo petebista que concorrerá à ALE, nomes como o dr. Paulo, destacado vereador de Cacoal; Pedro Fernandes, ex-prefeito de Cujubim; o ex-deputado estadual Edevaldo Soares; José Messias, de Rolim de Moura; Jair de Vilhena, ex-secretário de Agricultura de sua cidade; Adalto de União de Bandeirantes e Mateus de Rondônia, de Ariquemes. O que tudo indica, a decisão do PTB de caminhar com Rocha está fechado. Mas, como em política nada é definitivo, é bom esperar o fim da convenção...

POSSIBILIDADE REAL OU APENAS DISCURSO COM OTIMISMO EXAGERADO? BOLSONARO PREVÊ DEFLAÇÃO JÁ EM AGOSTO

Tem algo a ver com a realidade ou apenas um otimismo demasiado no discurso? Enquanto os preços dos combustíveis estão caindo a cada dia, em pelo menos 20 dos 26 Estados e Distrito Federal, o presidente Jair Bolsonaro comemora publicamente, prevendo deflação em agosto. O raciocínio se baseia na exatamente na queda dos preços da gasolina, do etanol e da energia elétrica, graças aos descontos de ICMS e tributos federais, o que, segundo ele, vão levar a uma reação muito positiva da economia. Bolsonaro argumenta: “o dono da padaria vai poder diminuir o preço do pãozinho na ponta da linha se quiser. Todo mundo ganha com isso. É uma luta minha, do Parlamento. Os presidentes da Câmara e do Senado trabalharam para diminuir esse percentual de imposto". Em vários Estados, a diminuição tem chegado entre 7 e 10 por cento. Em Rondônia, contudo, há postos vendendo gasolina a menos de 5,50 reais o litro, o que dá um desconto médio de 1,90 real. O percentual de baixa nesta conta simples da matemática, chega a 25 por cento a menos, em relação a pelo menos três semanas atrás. A questão é: o comércio vai baixar seus preços também, seguindo o raciocínio do Presidente ou manterá tudo cada vez mais caro, mesmo com a queda acentuada dos combustíveis? Tudo isso é ainda uma incógnita. Só se saberá mesmo se a inflação (principalmente dos alimentos) vai cair, lá pelo final do mês que vem. Esperemos, pois!

VÍRUS DA COVID AINDA ATACA, JÁ MATOU 7.268 RONDONIENSES, MAS QUASE 3 MILHÕES DE VACINAS PROTEGEM A POPULAÇÃO

O vírus está voltando? Na verdade, ele nunca foi embora. Tanto no Brasil inteiro como em Rondônia, o número de casos tem crescido todos os dias. E provavelmente isso vai acontecer por longo tempo ainda. O que isso significa? Que o vírus vai diminuir sua força, por causa do grande número de pessoas imunizadas e, porque, entre os milhões e milhões de infectados, os organismos estão se fortalecendo, para enfrentar o vírus. Mesmo com o número de contaminados aumentando nas últimas semanas, a força do vírus não é mais a mesma. Ele continua, infelizmente, matando algumas pessoas, principalmente as que tem comorbidades ou são idosas ou, ainda, não tomaram sequer uma dose de vacina. Aliás, em Rondônia, excluindo-se o total de vacinas de crianças de menos de cinco anos, já foram aplicadas nada menos do que 2.989.368 doses de vacinas (1.300.902 primeiras doses; 1.132.380 segundas doses); (439.448 da terceira dose); 80.267 quartas doses); (36.371 da dose adicional). Ainda se lamenta, do fundo do coração, o total de 7.268 rondonienses mortos (2.689 apenas em Porto Velho), até a última quinta-feira. São mais de 432 mil pessoas contaminadas no Estado, mas 408 mil delas totalmente curadas. Precisamos manter ainda muitos cuidados, principalmente aqueles que ainda podem ser afetados com maior gravidade pela doença.

PREFEITURA INVESTE 30 MILHÕES DE REAIS E QUER ENTREGAR 1.500 UNIDADES HABITACIONAIS ATÉ MEADOS DO ANO QUE VEM

Obras abandonadas, dinheiro público jogado no lixo. A população já perdendo as esperanças de um dia ter sua casa própria. Empreendimentos iniciados e jamais concluídos. O cenário pode servir para centenas de cidades brasileiras, mas também, é claro, para Porto Velho. O prefeito Hildon Chaves, ao menos em cinco empreendimentos da sua cidade, decidiu dar um basta a esta situação de obras abandonadas e de famílias em filas sem fim, sem ter acesso aos imóveis abandonados. Nesta semana, Hildon anunciou investimentos de 30 milhões de reais (tudo recurso próprio, dos cofres municipais), para dar andamento ou concluir o pacote de empreendimentos que há longo tempo estavam empacados. A ordem de serviço assinada numa solenidade na zona leste, permitirá o andamento das obras nos conjuntos Porto Fino, Porto Madero II, Porto Madero V e Porto Belo I. Um quinto empreendimento, do programa Pró-Moradia Leste 1, acrescentará mais 269 unidades ao pacote de apartamentos e casas que, quando concluídas, atenderão as necessidades de centenas de famílias. Somando todo o pacote de obras, que ficarão prontas até meados do ano que vem, conforme prevê a Prefeitura, serão entregues um total de 1.500 unidades habitacionais. Comemore-se, pois!

DEPOIS DE DOIS ANOS DA PANDEMIA, EXPOPORTO VOLTA AO PARQUE DOS TANQUES, NA ÚLTIMA SEMANA DE AGOSTO

Quase em silêncio, pela falta de divulgação até agora, está sendo preparada mais uma edição da ExpoPorto, na capital rondoniense. O evento já tem até data: será de 24 a 28 de agosto, no mesmo Parque dos Tanques que sediou a primeira edição e que, durante vários anos, recebeu a melhor feira agropecuária que Rondônia já teve, a Expovel, que, na época, levava vários milhares de pessoas para dela participar. O credenciamento dos permissionários (restaurantes, pastelarias, pizzarias, vendedores de bebidas, crepes e outros, já poderão se inscreve. Um edital sobre o assunto já foi divulgado pela Prefeitura da Capital, que coordenará a distribuição de espaços, embora a feita seja promoção do governo do Estado. Os interessados podem tomar conhecimento das exigências do edital pelo link https://www.portovelho.ro.gov.br/uploads/editor/files/Prefeitura%20Municipal%20de%20Porto%20Velho%20-%20permissionarios.pdf. Toda a documentação deverá ser entregue no Departamento de Posturas Urbanas - Divisão de Fiscalização de Espaços Públicos da Prefeitura, localizado na rua Aparício de Moraes, nº 3616, bairro Industrial, até dia 26 deste mês, de segunda a sexta, das 08h às 13h. Por enquanto, não há mais detalhes sobre a nova edição da Exposição Agropecuária Festa Tecnológica de Porto Velho (nome oficial da ExpoPorto). Sabe-se. Copntudo, que haverá rodeio e apresentação de artistas locais. A primeira edição da feira agropecuária da Capital, com seu novo formato, sem grandes shows, por exemplo, foi realizada em 2019 e considerada uma experiência positiva. A pandemia cancelou as edições programadas para 2020 e 2021. Agora, a previsão é de que o evento volte maior e com mais participantes.

PERGUNTINHA

Qual sua opinião sobre as críticas do ex-presidente Lula ao agronegócio, quando afirmou que “esse país não vai mais derrubar árvore para criar gado, plantar cana, plantar soja ou milho”?

Fonte: Por Sérgio Pires
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem