Hildon Chaves desistiu de comandar o PSDB; Bagattoli tem primeira vitória; e a bandidagem na zona rural de Rondônia

A íntegra da coluna redigida por Sérgio Pires

A ARRAIAL FLOR DO MARACUJÁ, GRANDE DESTAQUE DA NOSSA CULTURA, VAI CONSEGUIR SOBREVIVER A TANTA FALTA DE APOIO?

Porto Velho, RO - Em anos passados, quando terminava o Arraial Flor do Maracujá, na mesma noite se anunciava o calendário do ano seguinte. Desde que foi transferido o local (em pleno centro da Capital, na área onde hoje há o prédio do Tribunal de Justiça e próximo à atual Assembleia Legislativa), o Arraial só teve algum momento mais perto daquilo tudo que foi no passado, em dois ou três anos, quando foi realizado no Parque do Tanques. A situação foi só piorando. Com a pandemia, o Arraial acabou se transformando quase num fantasma do que já foi.

Neste ano ele voltará a ser grande? Os grupos de quadrilhas e boi-bumbás, que são mais de 40, ainda teimam em sobreviver, com pouquíssimo apoio não só dos órgãos públicos como de empresas privadas. Os abnegados, que lutam para que essa imensa tradição cultural da nossa terra não morra (entre eles Fernando Rocha, presidente da Associação), continuam uma batalha quase inglória. Os obstáculos são tanto que só gente apaixonada pela cultura e pela história, aguenta tantas dificuldades que encontra pela frente.

Depois de longo tempo, ao que parece o Arraial volta neste ano, mas numa data completamente fora do contexto: entre 16 e 25 de setembro. Em junho não deu; em julho também não haveria tempo hábil para organizar tudo. Em agosto haverá, no Parque dos Tanques, mais uma edição da Expo Porto.

Só sobrou setembro, para o Arraial, porque depois disso não pode ser realizado, por causa da eleição.

Como os grupos, sem patrocínio e com pouco apoio financeiro oficial vão conseguir tornar novamente grande nosso grande Arraial? Uma das alternativas encontradas foi o apoio de deputados, que com emendas pessoais e de bancada estão ajudando, cada um, seu grupo folclórico.

Neste pacote estão cerca de 12 grupos, beneficiados por dinheiro vindo dos parlamentares. No total, há pelo menos 25 grupos de quadrilhas e boi-bumbás, fora deste pacote de apoio. Estes, segundo as conversas em andamento, terão, enfim, apoio financeiro do governo estadual, através da Superintendência da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer. Há ainda tentativa de apoio de empresas privadas, mas isso é daquelas iniciativas que nunca se sabe se darão certo ou não.

Ano a ano, mesmo que a paixão dos dirigentes e dos milhares de participantes dos grupos jamais tenha diminuído, ela foi inversamente proporcional ao apoio dos governos, entidades, instituições e outras, algumas delas, aliás, que trabalharam contra. Quem é do meio, sabe o que se está falando! A verdade nua e crua é que a mais importante demonstração da nossa cultura, que já reuniu públicos imensos em anos passados, tem sido tratada como se fosse algo de terceira categoria.

O Arraial Flor do Maracujá, lembremo-nos, chegou a ser uma atração mundial, há alguns anos, quando foi transmitido ao vivo pela Record News, entre 2009 a 2012, chegando a pelo menos 156 países. Hoje, está se tornando uma sombra do que já foi, com tão pouco apoio.

BAGATTOLI TEM PRIMEIRA VITÓRIA: É ELE O NOME DO PL NA CORRIDA PELO SENADO

Já tem um vencedor na dura batalha pela única cadeira ao Senado. O megaempresário do agronegócio, Jaime Bagattoli, recebeu, enfim, o sinal verde do seu partido, o PL, para ser o nome na corrida à única cadeira a que Rondônia tem direito. Desde que começou a movimentação pela eleição, Bagattoli não abriu mão de sua luta para convencer o presidente regional do partido, o senador Marcos Rogério, de que ele, Bagattoli, é quem deveria ser o nome para a cadeira senatorial. Depois de muitas idas e vindas – mas também ajudado por eventos que afastaram do PL, o PSD de Expedito Júnior, o nome preferido de Marcos Rogério – um encontro em Brasília referendou o nome do empresário do Cone Sul. Bagattoli, desde sempre, alardeou que seria o nome preferido do presidente Jair Bolsonaro, para o Senado, embora o próprio Bolsonaro nunca tenha falado publicamente sobre o assunto. Nesta semana, uma foto feita em Brasília, com o presidente nacional do PL, Valdemar da Costa Neto; com o presidente regional Marcos Rogério; com os deputados Coronel Chrisóstomo e Sílvia Cristina, além, é claro, do próprio Bagattoli, foi oficialmente anunciado que é ele o nome do partido para a corrida pelo Senado.

HILDON CHAVES ANUNCIOU QUE IRIA COMANDAR O PSDB NO FIM DE SEMANA, MAS DESISTIU NO DIA SEGUINTE

Confusão geral: num dia assume, no outro desiste e avisa que pode mudar de partido. Todo esse imbróglio envolve a situação do PSDB regional e o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves. No final de semana, foi anunciado, efusivamente, que Hildon aceitara a missão que lhe fora dada pelo diretório nacional e anunciava que estava no comando regional do ninho tucano. No dia seguinte, quando teria recebido um enorme rol de dívidas do partido, só uma delas de 300 mil reais (ao menos é o que divulgou o site Rondoniagora, muito próximo ao Prefeito), Hildon teria desistido da missão. Ele já avisara, segundo a mesma fonte, que só aceitaria presidir o partido, caso as finanças estivessem em dia. Elas estão muito longe disso. Com isso, muda tudo de novo! José Guedes, que quer ser o nome tucano ao Governo e que, com Hildon não teria chance alguma, já que o Prefeito da Capital está comprometido com a busca da reeleição do governador Marcos Rocha, agora volta ao palco, com possibilidades reais de ter seu pleito atendido pelo partido. Ele, aliás, é uma das raras lideranças que sobraram no ninho do tucanato, que já perdeu Expedito Júnior, Mariana Carvalho, Maurício Carvalho e que agora pode perder Hildon Chaves. O PSDB, que já foi um grande partido, está se esfacelando no país inteiro e, em Rondônia, já não é nem mais sombra do que foi.

ROCHA PERCORRE A MÍDIA FALANDO NOS AVANÇOS DO ESTADO E NESTA QUINTA VAI ESTAR COM OS DINOSSAUROS

O governador Marcos Rocha percorre a mídia rondoniense, falando sobre as realizações e avanços do seu governo. Mesmo no período eleitoral, ele não é impedido de se pronunciar como chefe de governo, mas apenas, claro, não pode falar como candidato à reeleição. Rocha tem tido bastante trabalho positivo a mostrar. Na economia, mesmo durante a pandemia do Covid 19 e agora, quando ela está passando, os números são extremamente positivos. Rondônia é hoje um dos estados que mais cresce no país e, em alguns setores, como o agronegócio, os percentuais de crescimento são expressivos. O governo tem muito a ver com isso, porque tem programas de apoio a todos os setores produtivos. Para o escoamento da produção, tem executado melhorias em dezenas de estradas estaduais, embora, claro, haja ainda muito mais a fazer. As finanças do Estado estão enxutas e o nosso Estado é exemplo para outras unidades da federação brasileira em transparência e, ao menos até agora, inexistência de qualquer ato comprovado de corrupção. Há ainda problemas na área de segurança pública, mesmo com os pesados investimentos para melhorar a qualidade das polícias e dar-lhes alguns dos equipamentos mais avançados. Na saúde pública houve avanços, mas, sem dúvida, a grande expectativa é pelo início das obras do Heuro, o hospital de urgência e emergência de Porto Velho, que, ao menos por enquanto, está parado. Rocha fala também nas melhorias da educação, cujos índices estaduais melhoraram bastante. Nesta quinta, o Governador participa do programa Papo de Redação, com os Dinossauros do rádio, na Parecis FM (12 às 14, de segunda a sexta).

A BANDIDAGEM CONTINUA AGINDO NA ZONA RURAL. MAIS UMA VEZ, A POLÍCIA É RECEBIDA À BALA POR FALSOS SEM TERRA

Tiroteio, violência, ponte queimada. Mais um confronto entre a Polícia Ambiental e invasores ocorreu, dessa vez numa área de floresta entre os distritos de Nova Dimensão e Jacinópolis, na região em direção a Guajará Mirim. Policiais foram recebidos à bala por gente que invadia a área, fazendo derrubadas, muitos dos criminosos usando máscaras e se anunciando como membros da Liga dos Camponeses Pobres, a famigerada e perigosa LCP, uma organização considerada como terrorista. Os policiais receberam denúncia de que invasores ilegais estariam atuando na região e ao iniciar a fiscalização, descobriram várias pessoas abrindo clareiras dentro da mata. Ao verem os policiais, no primeiro confronto, os bandidos começaram a atirar contra as autoridades da lei. Acuados, os policias revidaram, usando fuzis para o contra- ataque, enquanto os criminosos fugiam floresta adentro. Um outro grupo também atirou contra a Polícia Ambiental, usando armamento pesado. Perseguidos, os bandidos, em fuga, colocaram fogo numa ponte, para que as viaturas não pudessem passar. Os crimes de invasão e de ataques continuam em várias regiões do Estado, mesmo com a presença da Força Nacional de Segurança, que não está conseguindo conter a violência da LCP e outros grupos de falsos sem terra. Em toda a zona rural do Estado, tanto nos distritos da Capital como em outras cidades rondonienses, a ação da LCP continua. Impune!

IEDA FALA NOS DINOS SOBRE TRABALHO SOCIAL, EMPREENDEDORISMO E O DESAFIO DE DISPUTAR UMA ELEIÇÃO

Um dos nomes mais quentes na disputa por cadeira na Assembleia Legislativa, a primeira dama de Porto Velho, Ieda Chaves, participou nesta semana do programa Papo de Redação, com os Dinossauros do Rádio. No encontro com o time de comunicadores que faz o maior sucesso no Estado, Ieda falou do trabalho que tem realizado, principalmente em relação a ações sociais, que mantém ativos, desde que seu marido, Hildon Chaves, assumiu a Prefeitura. Um dos destaques da entrevista foi o visão que ela tem de apoio às famílias e principalmente às mulheres, que vivem na pobreza. A elas, além do apoio para que se mantenham e aos seus familiares, a preocupação é ensinar o empreendedorismo, para que, num futuro breve, elas mesmas possam sair da situação que vivem, através do trabalho. Ieda destacou também o apoio que está sendo dado às famílias da região do Cuniã, que voltaram, depois da pandemia, a conseguir produzir carne de jacaré, já que naquela área, é autorizada o abate destes animais, pela superpopulação. Ieda, perguntada, disse que jamais pensou em entrar na política, mas recebeu convites insistentes, até que decidiu que poderia fazer ainda mais pela população no parlamento. Ieda Chaves afirmou que quer fazer a boa politica: “o povo merece bons políticos, porque escolhe alguém que quer que trabalhe para ele e não para o próprio político. No encontro com os Dinos, Ieda Chaves falou também sobre a ação da Prefeitura nos distritos e a preparação da festa das crianças, neste ano.

NOVOS PLANOS: ROSA WEBER SÓ ASSUME PRESIDÊNCIA DO STF DEPOIS DAS MANIFESTAÇÕES DE 7 DE SETEMBRO

Os tempos não são fáceis para os ministros do Supremo, que politizaram o tribunal e agora estão vivendo sob constante críticas e protestos de parte importante da sociedade brasileira, Até eventos importantes como a posse da ministra Rosa Weber como presidente do tribunal, estão se adequando à essa situação. O STF havia programado a posse da ministra para 9 de setembro próximo, uma sexta-feira. Toda a solenidade para troca de comando no Supremo, já que ela substituirá o atual presidente, Luiz Fux, estava praticamente organizada. Então alguém lembrou que dois dias antes (o 7 de Setembro, uma quarta-feira), será um dia de grandes manifestações bolsonaristas, principalmente na Capital Federal. Claro que oficialmente não foi este o motivo alegado, mas como nestes dias turbulentos os ministros querem distância da plebe rude, por motivos óbvios, a posse foi transferida para a semana seguinte. Ou seja, tudo o que estava programado para o 9 de setembro, mudou agora para 12 de setembro. Dependendo do que acontecer no dia 7, a solenidade pode mudar novamente de data. O mandato de Rosa Weber vai durar apenas um ano, já que ela se aposentará, por idade, em outubro de 2023.

TRÁFICO INTERNACIONAL: DE VEZ EM QUANDO, A POLÍCIA CONSEGUE ALGUMA VITÓRIA CONTRA O CRIME

Rondônia continua sendo uma importante via de passagem de toneladas de cocaína, levadas para outras regiões e para outros países. Mas é no Mato Grosso que a Polícia Federal concentra, agora, suas investigações sobre uma das maiores organizações do tráfico internacional, já descobertas no país. Para se ter ideia da grandeza do negócio ilegal, durante as investigações, a Polícia Federal interceptou mais de duas toneladas de cocaína e identificou cerca de 40 milhões de reais de patrimônio dos –criminosos, conseguidos com o dinheiro do tráfico. Todo o esquema era liderado pelo ex-sargento da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul, Sérgio Roberto de Carvalho, que foi preso no mês passado na Hungria. A quadrilha usava vários aviões de pequeno porte, para transportar a droga, que vinha principalmente do Peru. Ainda está sob investigação o caso de um avião que foi interceptado pela Força Aérea Brasileira e que desceu numa plantação, no Mato Grosso. A aeronave foi abandonada pelos criminosos, com mais de meia tonelada de cocaína. As organizações criminosas que atuam no Brasil estão cada vez mais poderosas, mais ricas e melhor armadas do que se pode imaginar. As polícias do país têm conseguido grandes vitórias, mas o tráfico internacional está cada vez mais intenso e com mais gente envolvida.

PERGUNTINHA

Você acha que a vida já voltou totalmente ao normal ou ainda teme nova onda do Coronavírus, já que a pandemia está longe de terminar?

Fonte: Por Sérgio Pires
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem