Decisão do candidato a vice na chapa de Marcos Rocha divide opinião de lideranças aliadas


Porto Velho, RO - Ainda não é prego batido e ponta virada, mas as especulações quanto ao nome do candidato a vice-governador na chapa do atual mandatário estadual Marcos Rocha (União) começa a dividir opinião do eleitorado.

Anunciado como opção para compor a chapa que concorre à reeleição, Sérgio Gonçalves da Silva é um nome novo na política estadual. Irmão do secretário da Casa Civil, Junior Gonçalves, Sérgio foi Secretário de Estado de Desenvolvimento do Estado até o início de abril deste ano, quando se desincompatibilizou para a disputa eleitoral.

Sem experiência política-eleitoral e do mesmo reduto eleitoral do governador, a escolha de Sérgio Gonçalves é tida por muitos como um erro estratégico de Rocha. A maioria dos observadores políticos acreditam que o candidato a vice-governador, deveria ser escolhido de outro partido e, especialmente, que fosse alguém do interior do estado. Regiões como Ariquemes, Ji-Paraná, Cacoal e Vilhena possuem nomes fortes e alinhados ao atual governo, que agregariam na eleição, fator não observado em Sérgio Gonçalves, que é da capital e do mermo círculo de relacionamentos de Marcos Rocha.

Lideranças de partidos aliados já demonstram um certo receio com a confirmação de um vice da capital e sem bagagem política. Como opções dos partidos aliados são destacados o atual deputado Federal Lucas Follador (PSC/Ariquemes), Maurão de Carvalho (PTB/Ministro Andreaza), Divino Cardozo (PTB/Cacoal), Lúcio Mosquini (MDB/Jaru), Thiago Flores (MDB/Ariquemes), algum deputado estadual como Luizinho Goebel (PSC/Vilhena), Rosângela (União Brasil Vilhena), Cirone Deiró (União/Cacoal), Jean Oliveira (MDB Alta Floresta), Alex Redano (Republicanos/Ariquemes) e até o atual vice-governador, José Jodan (PSC/Rolim de Moura), uma vez que o governador e o vice mantiveram sempre um bom relacionamento nesses quatro anos.

Tida aparentemente como uma candidatura tranquila e com caminho pavimentado para o segundo turno, resta saber como o eleitorado vai receber a novidade Sérgio Gonçalves. Vale lembrar, que Sérgio, caso confirmado, possivelmente será o próximo governador, numa eventual desincompatibilização de Marcos Rocha para a disputa ao Senador, por exemplo.

O prazo para registro da chapa junto ao Tribunal Regional Eleitoral se encerra no dia 15 de agosto. Até la, tudo pode acontecer, inclusive mudanças de nomes e composições. Certamente nestes dias que antecedem o final desse prazo, os partidos políticos e aliado vão fazer uma análise sobre o desempenho e aceitação de Sérgio Gonçalves, empunhando-lhe, ou não, apoio para a real disputa eleitoral, que só começa, mesmo, depois da homologação das candidaturas.

Fonte: Da Redação

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem