A íntegra da coluna redigida pelo jornalista Waldir Costa

A íntegra da coluna redigida pelo jornalista Waldir Costa

Porto Velho, RO - Definições – As chapas de pré-candidatos a governador dos políticos considerados como “linha de frente”, somente a Frente Democrática (PT, PV, PCdoB, Solidariedade e PSB) tem nomes ao governo, vice e Senado, a chapa majoritária. É importante destacar, que há semanas estava tudo ajustado, acertado, apesar de nada definido (sic). Os adiamentos ocorrem há semanas, mas na noite de hoje (4) em reunião marcada para Porto Velho, o advogado e professor universitário. Vinícius Miguel (PSDB) deve ser confirmado como pré-candidato a governador, o presidente regional do PT e ex-deputado federal Anselmo de Jesus, pré a vice, e o ex-governador e presidente regional do Solidariedade, Daniel Pereira, pré ao Senado.

Definições II – O PL tem como pré-candidato a governador o senador e presidente estadual do partido, Marcos Rogério. Jovem em ascensão na política regional, onde iniciou como vereador em Ji-Paraná, Rogério era suplente de deputado federal pelo PDT e assumiu com o afastamento de Lindomar Garçon, na época no PV, após recontagem de votos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em novembro de 2011. Em 2018 se elegeu senador com 324.939 votos, superando o ex-governador Confúcio Moura (MDB), que também foi eleito, mas com 230.361 votos. Nesta segunda-feira (4) Rogério tem reunião política em Vilhena e, segundo o jornalista Roberto Kuppê (+RO) na sua coluna Zona Franca, o empresário Jaime Bagattoli, filiado ao PL será o vice formando uma chapa “puro sangue”, para disputar a sucessão estadual nas eleições de outubro próximo com Rogério.

Definições III – No caso de Bagattoli confirmado como pré-candidato a vice, Rogério ajustaria a composição com o PSD, presidido regionalmente pelo deputado federal Expedito Netto. O PSD tem o ex-senador Expedito Júnior, liderança política regional reconhecida em todo o Estado como pré-candidato ao Senado. Se realmente Bagattoli compor com Marcos Rogério aceitando a vaga de vice, o PL terá um importante aliado (Júnior) na busca do governo do Estado. Quem conhece a soberba do empresário Bagattoli, aposta que ele jamais aceitará uma pré-candidatura a vice-governador, mas como já dizia o saudoso ex-governador de Minas Gerais, Magalhães Pinto, que “política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Você olha de novo e ela já mudou”, é mais prudente aguardar a reunião de hoje.

Candeias – A saúde pública em Candeias do Jamari está muito distante de o mínimo necessário para um atendimento digno à população. Uma senhora colocou em rede social, que durante semanas procurou atendimento em postos de saúde para obturação de um dente e não conseguiu. A “justificativa” era de equipamento odontológico quebrado, isso em abril deste ano. Foi feito um curativo e toda a semana a pessoa buscava atendimento sem sucesso. Em junho foram feitas várias tentativas e, mesmo com a ficha de atendimento em mãos não conseguiu a obturação. Foram semanas ao posto de saúde (Palheiral) e nada de positivo. A pessoa também teve problemas de atendimento em 2021. Desde dezembro aguarda ser chamada para ultrassom e poder fazer uma cirurgia no punho. Onde estão o prefeito e os vereadores? Se a situação para obturação e ultrassom é assim como será nos demais casos? Com certeza a receita será um “Atestado de Óbito”. É o fim da rosca...

BR 364 – Estamos em pleno verão amazônico (pouco chove durante vários meses) e nada sobre a restauração da BR 364, no trecho entre Porto Velho a Vilhena, com cerca de 700 quilômetros. No inverno (chuvas fortes e quase que diárias durante meses) o trecho da rodovia construída na década de 80 fica tomado pelos buracos favorecendo acidentes, quase sempre com vítimas fatais. Nossos representantes no Congresso Nacional (senadores e deputados) pouco ou nada fazem para que o problema seja resolvido. Os tapa-buracos, de todos os anos, que “engordam” os donos de empreiteiras contratadas pelo Dnit não resolvem. A rodovia foi construída na década de 80 e não tem suporte técnico (alicerce) para atender a demanda de veículos e de cargas dos dias atuais. É necessária restauração completa para suportar o tráfego de 2,5 mil carretas, bitrens e treminhões em períodos de safras de grãos (soja e milho) de Rondônia e de parte do Mato Grosso, que utilizam o porto graneleiro de Porto Velho, no rio Madeira, para exportação, além de os veículos de passageiros. Mas esse ano os políticos estão em campanha e não há tempo para discutir e resolver a situação precária da BR 364. Enquanto isso o “Corredor da Morte” continua fazendo vítimas...

Respigo

Hoje os veículos de aplicativos são uma das boas opções no transporte de pessoas em Porto Velho e nos demais municípios do País. O preço é inferior ao táxi, mas superior ao transporte coletivo urbano, porém a rapidez, conforto e facilidade no atendimento das chamadas e no deslocamento são fundamentais para quem tem pressa +++ Há tempos os motoristas de aplicativos solicitam do setor de trânsito de Porto Velho, a Secretaria Municipal de Trânsito-Semtran, locais para parada dos veículos nas áreas de maior movimento (Centro e zonas Sul e Norte) para recolher e entregar passageiros. Mas o tempo passa e a mente arcaica da direção da Semtran não “acorda” para o mundo moderno +++ Mais uma vez vamos cobrar uma melhor fiscalização e orientação no trânsito maluco da capital. Os agentes de trânsito devem agir com rigor com motoristas irresponsáveis, e os motoqueiros, principalmente, com “destaque” para os que trabalham com delivery, que abusam da velocidade, ultrapassam pela direita, “furam” semáforos e abusam da velocidade +++ Fiscalizar não é ficar à sombra de árvores ou edificações em pontos estratégicos para multar. É necessário marcar presença, orientar, se fazer respeitar para que tenhamos um trânsito no mínimo organizado e o pronto socorro do João Paulo II ter condições de melhor atender as pessoas acidentadas +++ O PS está sempre com excesso de pacientes devido aos inúmeros acidentes com motocicletas. Fiscalizar, organizar, orientar, punir se for o caso são fundamentais para um trânsito seguro e menos violento.

Fonte: Por Waldir Costa / Rondônia Dinâmica
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem