Vem aí: Funai divulgará série especial sobre produção indígena em Rondônia

Além dos resultados positivos conquistados nos últimos anos, a série especial mostrará como as atividades produtivas ajudam a melhorar as condições de vida na comunidade, resultando em autonomia e protagonismo

Porto Velho, RO - Fundação Nacional do Índio (Funai) divulgará uma série especial sobre o trabalho de indígenas das etnias Paiter-Suruí e Cinta Larga na produção de café, castanha e cacau em Rondônia. O incentivo ao desenvolvimento sustentável tem sido uma das prioridades da fundação, a fim de levar dignidade às aldeias. Além dos resultados positivos conquistados nos últimos anos, a série especial mostrará como as atividades produtivas ajudam a melhorar as condições de vida na comunidade, resultando em autonomia e protagonismo.

A equipe da Assessoria de Comunicação (Ascom) da Funai passou uma semana percorrendo a região de Cacoal (RO) para conhecer os personagens envolvidos nas atividades produtivas e captar suas histórias. O conteúdo especial produzido em diferentes formatos será publicado ao longo das próximas semanas no portal da Funai e nas redes sociais da instituição.



A equipe de comunicação da Funai contou com o apoio da Coordenação Regional (CR) da fundação em Cacoal, que auxiliou na preparação da viagem, na logística e no transporte pelo estado. Participaram dos trabalhos o coordenador da CR Cacoal, Sidcley Sotele; o coordenador técnico local Deoclides Pereira e o servidor da Funai Roni Pinheiro.


Café e castanha se destacam na produção indígena

Com o apoio da Funai, a produção de café dos Paiter-Suruí se consolidou com uma das principais atividades produtivas das comunidades indígenas da região. Desde 2018, a produção de café indígena é vendida para o grupo 3Corações, por meio de acordo que prevê o aumento da produtividade com foco na qualidade do café especial sustentável. Atualmente, a cafeicultura é a principal fonte de renda das famílias indígenas em Cacoal.



Indígenas da etnia Cinta Larga trabalham com a produção de castanha do Brasil na Terra Indígena Roosevelt, localizada entre os estados de Rondônia e Mato Grosso. Para realizar a coleta da castanha nos milhares de hectares de castanhais, os Cinta Larga contam com o suporte da Funai para a aquisição de ferramentas, a instalação de maquinário para o beneficiamento da castanha, o transporte da produção e a capacitação dos indígenas.



Confira a série nos nossos canais oficiais:

Fonte: Assessoria/Funai
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem