Unir suspende exigência do comprovante de vacina contra Covid

Medida retira a exigência do comprovante de vacinação contra a Covid-19 para alunos, professores, trabalhadores e público em geral

Porto Velho, RO - A reitoria da Universidade Federal de Rondônia (Unir) publicou uma portaria, na última semana, que retira a exigência do comprovante de vacinação contra a Covid-19 para alunos, professores, trabalhadores e público em geral. Parte dos professores se manifestaram contrários à decisão.

Segundo a reitoria, o principal motivo da nova regra é o número de pessoas que não apresentaram a carteira de vacinação. Somente nos cursos de ciências humanas, 579 alunos poderiam ter as matrículas trancadas por não apresentarem o comprovante de vacinação.

A Universidade chegou a informar que iria exigir o comprovante. Inicialmente o prazo para apresentar o documento era 24 de abril, depois foi prorrogado até 20 de maio e, por fim, suspenso, na última semana.

Segundo a portaria, continua obrigatório o uso de máscara de proteção facial usada corretamente, cobrindo nariz e boca.

Depois da decisão, a Associação dos Docentes da Universidade Federal De Rondônia (Adunir-SSIND) publicou uma nota de repúdio, alegando que a medida é “autoritária e negacionista”.

“É importante destacar que tal portaria não encontra nenhum lastro científico. Ademais, fora publicada sem prévia consulta ao Comitê Covid-19 da Unir. É claro para todos os verdadeiros cientistas, que a única forma de erradicar o Covid 19 é a vacinação em massa. A prova está na redução das mortes no país desde que iniciou o processo de vacinação. Mas, a redução não significa que vencemos a pandemia”, consta na nota.

Conforme a representante da associação, Marilsa Miranda, a portaria causou grande indignação aos integrantes do corpo docente e alunos da instituição. Segundo ela, alguns membros do comitê criado na Unir para controle da Covid, chegaram a renunciar os cargos como forma de protesto.

“A portaria desrespeita a resolução do Consun [Conselho Universitário] que obriga o comprovante vacinal para estudantes, técnicos, professores, trabalhadores do serviço terceirizado, enfim, ao público em geral dentro da Universidade Federal de Rondônia”, disse.

Unir

O vice-reitor da Unir, Juliano Cedaro, ressaltou que medidas como uso de máscara, disponibilização de álcool em gel e campanhas de orientação contra a Covid-19 não foram suspensas.

Juliano aponta também que a medida ainda está em discussão e os alunos que não comprovaram a imunização ainda correm o risco de perderem suas matrículas, caso o Consun delibere por esse meio.

A reitoria ainda fez um apelo para que as secretarias municipais de saúde façam campanhas de imunização dentro das repartições de todo o estado.

Fonte: Diário da Amazônia
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem