Sem coligações Vinícius Miguel deve concorrer à Câmara Federal, por que não a dobradinha Confúcio-Daniel Pereira? Indústria de fertilizantes para Porto Velho

A íntegra da coluna redigida pelo jornalista Waldir Costa

Porto Velho, RO
- Coligações – Nas eleições gerais de outubro próximo, não serão eleitos somente prefeitos e vereadores. Os demais cargos públicos-eletivos de presidente da República, govenadores e respectivos vices; uma das três vagas ao Senado de cada Estado e do Distrito Federal, além de deputados federais e estaduais, os partidos políticos não terão mais a possibilidade de coligarem. As coligações foram extintas e foi instituída a federação, onde as agremiações políticas poderão se unir, mas serão eleitos os mais bem votados de cada partido, desde que o quociente eleitoral e a cláusula de barreira sejam cumpridos. A parceria deve ser mantida por no mínimo 4 anos e o acordado entre os partidos pelos diretórios nacionais, tem que ser mantido nos Estados e municípios.

Dificuldades – Os matemáticos de plantão garantem, que para eleger um deputado federal o partido terá que somar entre 80 mil a 100 mil votos. Somente a ex-deputada federal, Marinha Raupp, nas eleições gerais de 2010 conseguiu ultrapassar os 100 mil votos. Na época ela foi reeleita deputada federal com 100.589 votos, pelo quinto mandato consecutivo, e em 2014, mais uma reeleição com 61.429 votos. Marinha esteve na Câmara Federal durante seis mandatos seguidos. Nas eleições de 2010, o segundo colocado foi Mauro Nazif, na ocasião no PSDB, com 64.472 votos. Nazif deve buscar a reeleição este ano, mas sabe que terá muitas dificuldades, que cresceram com a disposição de o ex-prefeito de Ji-Paraná (dois mandatos seguidos), e ex-deputado estadual Jesualdo Pires, do seu partido, decidir não disputar as eleições deste ano, e também o fim das coligações. A “escada” ficou sem degraus...

Governador – A princípio o PSB de Nazif tem um pré-candidato a governador, com a filiação recente do advogado e professor universitário, Vinícius Miguel. Sua entrada no partido seria para formatar uma parceria com o Solidariedade, do ex-governador Daniel Pereira, que seria o pré-candidato ao Senado na chapa de Vinícius Miguel e o PT, com Anselmo de Jesus, como candidato a vice. Agora surgem comentários, muito bem explorados pelo sempre bem informado jornalista Roberto Kuppê, no seu site “Mais Rondônia”, que Vinícius Miguel poderá concorrer à Câmara Federal, o que daria segurança para a reeleição de Nazif. Fica uma interrogação de quem seria o pré-candidato a govenador do grupo de centro-esquerda com PT, PSB, Psol, dentre outros com a possibilidade de Vinícius disputar vaga a federal e não à sucessão estadual. Também crescem as possibilidades de a dobradinha vitoriosa de Confúcio Moura e Daniel, governador e vice, como ocorreu em 2014, ser repetida. Quem viver verá...

Industrialização – A informação do prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB), dando conta de que a multinacional nacional Via Brasil, uma das maiores exportadoras de soja e milho do País, tem um projeto para instalar no prazo de dois anos em Porto Velho, uma indústria de fertilizantes. O prefeito lembrou, que Porto Velho é na atualidade uma “esquina” com capacidade para distribuir a produção agropecuária de uma vasta região, além de o Estado de Rondônia, o norte de Mato Grosso, Amazonas, Acre e os países andinos, que serão favorecidos com o investimento da empresa multinacional.

Batendo pino – O prefeito Hildon Chaves acrescentou ao jornalista, José Luiz Alves, no programa “Campo e Lavoura” na Rede TV! Rondônia, que essa indústria de fertilizantes vai oferecer a oportunidade para que se instalem no município de Porto Velho, empresas com capacidade de explorar a produção de frangos e suínos, gerando emprego e rendas com a produção do farelo de soja e milho. As carretas que descem a BR 364 (nos períodos de safras de grãos em média 2,5 mil carretas, bitrens e treminhões) em direção ao sistema portuário na capital, no retorno tenham cargas de fertilizantes para transportarem sem que seja necessário retornar “batendo pino”, ou seja, vazias.

Respigo

O senador Álvaro Dias (Podemos/PR) está propondo ao Congresso Nacional a redução de deputados e senadores. Apesar da boa vontade e conhecimento político de Álvaro Dias, que já foi governador e deputado federal pelo Paraná, e hoje é senador dificilmente sua proposta terá solução de continuidade +++ A matança de ex-apenados, que cumprem pena com tornozeleiras em Rondônia, continua acelerada. Na última semana seis foram executados, sempre com duas pessoas chegando em uma motocicleta, disparando vários tiros e na quinta-feira (2) mais um em Jacy-Paraná, distrito de Porto Velho +++ Os assassinatos ocorrem com requintes de execução e a maioria dos tiros, na cabeça. Seria a volta dos Esquadrões da Morte das décadas de 60 e 70? +++ Salatiel Rodrigues, pré-candidato a deputado federal pelo PL está licenciado do cargo de presidente do sistema OCB/RO, que ele ocupava desde 2005. Seu eficiente trabalho à frente do sistema cooperativista certamente dará a ele o respaldo necessário, para tentar se eleger a uma das oito cadeiras de Rondônia na Câmara Federa +++ No caso de se eleger, e Salatiel tem amplas possibilidades de sucesso, o cooperativismo de Rondônia ficará sem um competente dirigente. Mas o sistema ganhará um eficiente parceiro no Congresso Nacional.

Fonte: Por Waldir Costa / Rondônia Dinâmica
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem