Em recado a Expedito Junior, Marcos Rogério diz que candidatura ao Senado depende de Bolsonaro

Num claro recado a Expedito Junior, senador comenta, ainda, que muitos que se elegeram no Partido Social Liberal (PSL), atual União Brasil, não tiveram compromisso com o Governo em muitas votações importantes. Expedito Juníor e seu filho, o deputado federal Expedito Netto sempre foram oposição ao governo Bolsonaro e agora enfrentam dificuldades para a eleição de outubro.
Senador disse que presidente está cansado de traições como as dos deputados, governadores e senadores que se elegeram na onda Bolsonaro em 2018 e depois partiram para a oposição








 
Porto Velho, RO - O senador Marcos Rogério (PL-RO), pré-candidato a govenador, reafirmou nesta terça-feira (21/06) que a definição de candidatura ao Senado apoiada pelo PL em Rondônia passará pelo crivo pessoal do presidente Jair Bolsonaro. “Meu compromisso com o presidente da República é construir alianças que garantam um governo alinhado com o projeto nacional, e uma bancada que tenha a mesma sintonia”, afirmou.

Marcos Rogério, que é vice-líder do Governo no Congresso, relata que o presidente Bolsonaro enfrenta dificuldades de implementar suas principais pautas políticas por falta de apoio de governadores e de uma base mais coesa na Câmara e no Senado. Na pré campanha ele havia assegurado a vaga ao Senado em sua chapa para Expedito Junior, mas foi chamado à presidência da República e informado que Expedito Junior e Expedito Netto seriam "personas non gratas" do Palácio da Alvorada.

O senador comenta, ainda, que muitos que se elegeram no Partido Social Liberal (PSL), atual União Brasil, não tiveram compromisso com o Governo em muitas votações importantes. “Além disso, em momentos críticos, como durante a CPI da Pandemia, por exemplo, muitos que se diziam apoiadores do presidente se mantiveram em silêncio, inclusive governadores, que seguiram a cartilha da oposição, deixando o presidente isolado. Por tudo isso, precisamos ter cautela em nossas definições, e a candidatura ao Senado é fundamental nesse aspecto”, salientou.

O PL tem como pré-candidato o pecuarista Jaime Bagattoli, mas a deputada federal Mariana Carvalho, que migrou para o Republicanos, também pretende concorrer ao Senado com o apoio de Bolsonaro. O Partido Social Democrático (PSD) acena no sentido de lançar o ex-senador Expedito Júnior, o que ainda não ocorreu oficialmente. “As conversações partidárias estão em andamento”, finalizou Marcos Rogério.

Da Redação, com informações do Tudo Rondônia
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem