Soja: preços sobem acompanhando ganhos de Chicago e alta do dólar

Nos contratos futuros, sinais de demanda aquecida pelo grão americano garantiram a elevação da posição maio, reduzindo a perda semanal

soja preço cotação pib Chicago

Porto Velho, RO - Os preços da soja subiram nesta última semana na maior parte das praças do país, acompanhando os ganhos predominantes de Chicago e do dólar ao longo do dia. O ritmo dos negócios seguiu lento e Safras & Mercado estima que cerca de 250 mil toneladas trocaram de mãos na semana, sendo 100 mil toneladas em Goiás.

– Passo Fundo (RS): a saca de 60 quilos avançou de R$ 185,00 para R$ 187,50

– Região das Missões: a cotação subiu de R$ 184,00 para R$ 186,50

– Porto de Rio Grande: o preço aumentou de R$ 189,00 para R$ 191,50

– Cascavel (PR): o preço passou de R$ 178,00 para R$ 180,50 a saca

– Porto de Paranaguá (PR): a saca avançou de R$ 184,50 para R$ 187,00

– Rondonópolis (MT): a saca avançou de R$ 169,50 para R$ 171,00

– Dourados (MS): a cotação passou de R$ 176,00 para R$ 177,00

– Rio Verde (GO): a saca subiu de R$ 163,00 para R$ 164,00

Soja em Chicago
Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços mistos. Sinais de demanda aquecida pela soja americana garantiram a elevação da posição maio, reduzindo a perda semanal. As demais posições caíram ao final da sessão, com posicionamento frente ao final de semana prolongado.

As exportações líquidas norte-americanas de soja, referentes à temporada 2021/22, com início em 1 de setembro, ficaram em 548.900 toneladas na semana encerrada em 7 de abril. Representa um recuo de 31% frente à semana anterior e uma retração de 41% sobre a média das últimas quatro semanas. A
China liderou as importações, com 435.500 toneladas.

Para a temporada 2022/23, ficaram em 458.000 toneladas. Analistas esperavam exportações entre 500 mil e 1,4 milhão de toneladas, somando-se as duas temporadas. As informações foram divulgadas pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao USDA a venda de 132.000 toneladas de soja para a China. O volume será entregue na temporada 2021/22.

Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com alta de 6,25 centavos de dólar por bushel ou 0,37% a US$ 16,82 1/4 por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 16,65 1/4 por bushel, com ganho de 0,25 centavo ou 0,01%.

Nos subprodutos, a posição maio do farelo fechou com alta de US$ 3,20 ou 0,69% a US$ 461,40 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em maio fecharam a 78,91 centavos de dólar, com ganho de 0,80 centavos ou 1,02%.
Câmbio

O dólar comercial fechou em R$ 4,6960, com alta de 0,17%. A moeda chegou a subir com mais ímpeto, refletindo as expectativas com a próxima reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) e os ruídos fiscais domésticos, mas o fluxo estrangeiro voltou a segurar o real.
Agenda de segunda

– Inspeções de exportação semanal dos EUA – USDA, 12hs.

– Custos de produção e quadros de oferta e demanda do Mato Grosso – Imea, às 16hs.

– Relatório de condições das lavouras dos EUA – USDA, 17hs.
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem