Preço do leite pago ao produtor teve alta de 4,48%

 

Porto Velho, RO - No 1º bim.22, as importações nacionais de derivados lácteos somaram um total de 15,77 mil toneladas, volume 52,50% menor que o observado no mesmo período do ano passado, segundo os dados da Secex.

Entre os produtos analisados, o leite em pó se destacou com a maior queda da aquisição no período, volume 63,32% menor que o embarcado para o Brasil no 1º bim.21. O recuo na entrada de lácteos, oriundos do mercado externo, foi reflexo da perda do poder de compra do consumidor brasileiro, o qual impactou diretamente na demanda pela aquisição de derivados, além das altas das cotações no mercado internacional e valorização do dólar. Para os próximos meses, a entrada do período de entressafra do leite tende a aquecer o mercado internacional, levando ao aumento das aquisições nacionais, a fim de suprir o recuo da oferta nesse período.

INCREMENTO: devido ao menor índice de captação no estado, houve avanço nos preços do leite de 4,48% ante a jan.22, com isso, o preço médio fechou a R$ 1,83/l.

REDUÇÃO: diante, sobretudo, da alta nos custos de produção, o ICAP-L apresentou queda de 18,53% no comparativo mensal, com isso, o índice registrou valor de 53,09 em Mato Grosso.

ALTA: por causa da menor oferta no campo, o preço do queijo muçarela registrou aumento de 6,25% ante o mês anterior e fechou a média de fev.22 em R$ 24,49/kg.

Segundo o IBGE, o estado de Mato Grosso foi o décimo colocado no ranking de captação de leite em 2021. Com base na divulgação do IBGE referente ao consolidado de 2021, foi possível analisar a captação anual de leite no Brasil. Apesar da redução de 4,99%, MG atingiu o volume total de 6,19 bilhões de litros e alcançou a primeira colocação, seguido por PR, RS, SC e SP. Cabe ressaltar que os cinco maiores estados no ranking de captação representaram 74,09% de toda a participação nacional. Entre os dez maiores estados, sete apresentaram queda em relação ao ano anterior, sendo o decréscimo matogrossense o de maior expressão (-8,21%). E, assim, o estado se posicionou em 10º lugar no ranking nacional, com os laticínios do estado adquirindo um total de 441 milhões de litros de leite, o que representou uma participação de 1,76% frente ao cenário nacional. Em 2022, a oferta de leite já apresenta níveis inferiores em algumas regiões do país em decorrência da saída de produtores da atividade.
Fonte: Terraviva
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem