De olho na sustentabilidade, empresa passa a vender vasos biodegradáveis


Em um período de dois a quatro meses, os vasos se decompõem em contato com o solo| Foto: Divulgação/NagmoBio

Porto Velho, RO - Papel reciclado e fibra vegetal. Essas são as matérias-primas dos novos vasos, sementeiras e bandejas para mudas biodegradáveis vendidos pela Vasart. A composição permite que eles sejam enterrados no solo, pois, em um período de dois a quatro meses, acabam se decompondo completamente.

Com isso, além de facilitarem o transplante de plantas, os vasos evitam a geração de lixo plástico e geram matéria orgânica para o solo. Outro benefício é que evitam a deformação de raízes, como a formação de nós e espirais, ou a distribuição desequilibrada delas, pois elas podem romper suas paredes para continuarem crescendo. Conforme a marca, isso estimula a formação de raízes secundárias, que ajudam a fixar a planta no solo.


Sementeiras biodegradáveis podem ser destacadas da bandeja na hora do plantio| Divulgação/NagmaBio

Desenvolvidos para abrigarem sementes e mudas - ou seja, para o período inicial de plantio e cultivo, os vasos biodegradáveis chegaram às lojas da Vasart e a seus revendedores autorizados por meio da NagmaBio, empresa que trabalha com produtos sustentáveis e importa os vasos do Uruguai. As duas empresas se uniram com o intuito de oferecer novas alternativas sustentáveis a quem cultiva diferentes espécies em casa.


Diferentes modelos de vasos biodegradáveis disponíveis| Divulgação/NagmaBio




Fonte: Por HAUS
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem