MDB é isolado das conversas de federalização pelo PSDB e União Brasil em Rondônia

PSDB e União não querem MDB no mesmo palanque em outubro, mesmo com a federalização

Porto Velho, RO - O PSDB, União Brasil e MDB caminham para fechar a federalização que lhe permite uma "coligação" para as eleições de 2022 em todo o Brasil. As conversações em Brasília, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro entre os três partidos caminha a passos largos para o acordo. Exatamente ao contrário do que acontece em Rondônia.

Aqui pelas terras do Marechal Cândido Rondon, o MDB dos caciques Confúcio Moura, Valdir Raupp, Amir Lando e Maurão de Carvalho está sendo isolado de todas as conversas sobre o pleito de outubro próximo. Nem lideranças do PSDB e tampouco lideranças do União Brasil querem conversa com os emedebistas. Tanto que recentemente, realizaram uma reunião ampla entre as duas legendas, comandadas respectivamente por Mariana Carvalho e Marcos Rocha e nem sequer mencionaram a possibilidade de ter o MDB por perto.

Nos bastidores, a informação é de que ninguém quer carregar o fardo do MDB que sempre foi protagonista em eleições e agora se vê como mero coadjuvante no processo eleitoral. A briga na convenção partidária de 2018, que acabou com tapa na cara entre lideranças do partido e candidatura goela-abaixo de Confúcio ao Senado e enterrou por vez o casal Valdir e Marinha Raupp ainda repercute negativamente no cenário político como um grande escândalo e nenhuma sigla quer se dispor a passar pela mesma situação em futura convenção.

Com esse isolamento, se a federação for mesmo fechada entre União Brasil, PSDB e MDB, os emedebistas, sem espaço em Rondônia deverão mesmo saír à reboque dos demais partidos. Sem candidato ao governo ou vice e sem um nome para o Senado, deverá apenas compor chapa para deputado federal ou estadual, obedecendo às ordens que quem estará no comando, no caso o governador Marcos Rocha, que é candidato à reeleição.

Da redação

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem