Encontro estadual do União Brasil superlota talismã e mostra força de Rocha na batalha pela reeleição




Porto Velho, RO - Poucas vezes se viu, num acontecimento político tão distante da eleição, um público tão grande como o que se registrou neste sábado, na Casa de Shows Talismã, em Porto Velho. Liderado pelo governador Marcos Rocha, o União Brasil, surgido da união do DEM com o PSL, o evento partidário superlotou as dependências imensas do local, com grande público se aglomerando.

Juntos, no mesmo palanque, um pacote de partidos aliados, que está fortalecendo a candidatura de Rocha a um segundo mandato. Ali estavam várias lideranças, representadas por algumas dezenas de deputados estaduais; de presidentes de várias siglas partidárias, de prefeitos, de vereadores, de candidatos nesta próxima eleição e um público que pode ter batido nas seis mil pessoas.

Os discursos foram todos otimistas e efusivos, tanto no que se relaciona com a reeleição de Rocha quanto a do presidente Jair Bolsonaro. Ao lado da primeira dama e secretária Luana Rocha, o Governador, visivelmente emocionado, destacou a força do União Brasil, já colocado como uma das maiores siglas políticas de Rondônia; enumerou realizações, em todas as regiões do Estado; destacou o combate à corrupção e os cuidados com o dinheiro público, Não esqueceu, como é comum em suas falas, do que ele chama de “pessoas do mal!”.

Era notória também a alegria do Chefe da Casa Civil do governo, Júnior Gonçalves, o grande articulador político, ao ver tantas lideranças ao lado do Governador, muitas delas cooptadas por ele, através de intensa conversação e muito jogo de cintura.


No palanque oficial, um registro especial. Foi o primeiro evento de cunho eminentemente político, com a presença do prefeito Hildon Chaves e da primeira dama, Ieda (ela candidata a uma vaga à Assembleia Legislativa) depois do acordo fechado entre ele e o Governador.

O tom de otimismo que resumiu o encontro; a quase multidão presente; a união de várias lideranças de todo o Estado, reunidas no entorno da sua postulação a mais um mandato, deram a Marcos Rocha a certeza de que ele tem, sim, chances reais e positivas de chegar lá.

Contudo, o Governador sabe que terá que enfrentar adversários poderosos, como o senador Marcos Rogério, o deputado federal Léo Moraes, o professor Vinicius Miguel e, provavelmente, o ex-governador Daniel Pereira, além dos que ainda surgirão, até as convenções de agosto. Não houve, em nenhum momento do evento, o tom pedante do já ganhou, até porque isso seria um risco muito grande.

Mas houve sim um pontapé inicial de uma campanha que, na verdade, não começa, ao menos na lei eleitoral, antes de 16 de agosto, quando estarão liberadas as propagandas, comícios e distribuição dos famosos “santinhos”. Até lá, um longo caminho ainda será percorrido. Contudo, é bom frisar, para Rocha e seu grupo político, que certamente serão os alvos dos canhões da oposição: os primeiros passos em direção a um segundo mandato no Palácio Rio Madeira/CPA, não poderiam ter sido melhores.

SEMTRAN ANUNCIA IMPLANTAÇÃO DO ESTACIONAMENTO PAGO NO CENTRO, JATUARANA E JOSÉ AMADOR DOS REIS AINDA NESTE ANO



Estacionar no centro de Porto Velho é quase como ganhar na loteria. Pouco espaço para cada vez mais carros. Alguns, principalmente na área dos bancos e do comércio, estacionam pela manhã e só deixam a vaga à noite. Outros, estacionam na frente das lojas, para trabalhar e só retiram seus veículos quando encerra seu expediente.

A Capital já teve um sistema de estacionamento rotativo, pago, mas ele acabou, por decisões judiciais. Desde lá, o centro da maior cidade de Rondônia, virou uma verdadeira casa da Mãe Joana, com um trânsito cada vez mais pesado e com donos de vagas tomando conta delas, prejudicando não só apenas quem precisa comprar, mas, por consequência, todo o comércio.

O problema, segundo o secretário da Semtran, coronel Mauro Flores, começará a ser resolvido ainda neste ano. Flores relatou, em entrevista ao programa Papo de redação, com os Dinossauros do Rádio (Parecis FM, 98.1, segunda a sexta, meio-dia às duas da tarde) que os estudos para implantação da Zona Azul estão concluídos e a partir de agora começa a definição de como será feito o sistema, se por Parceria Público Privada, por Licitação ou outra forma.

O secretário da Semtran destacou, ainda, que a instalação do estacionamento pago será não só no centro, mas também, na Jatuarana e na José Amador dos Reis, os outros dois mais importantes centros comerciais da Capital. Enfim, o projeto está andando…

SITUAÇÃO DA PECUÁRIA, INVESTIMENTOS NO AGRONEGÓCIO E A CRISE DO LEITE: RONDONIENSES RECORREM À TEREZA CRISTINA



A semana em Brasília foi movimentada. Disputando espaço junto ao governo federal, autoridades rondonienses foram tratar de assuntos de interesse do Estado, mas, ao mesmo tempo, mostrar força e prestígio junto a gabinetes de ministros, todos muito concorridos.

Um exemplo disso foi a reunião do governador Marcos Rocha com a ministra Tereza Cristina, da Agricultura. O Governador relatou à ministra, problemas que estão afetando o agronegócio do Estado, principalmente com relação à pecuária. Rocha informou que o rebanho rondoniense já bate na casa das 16 milhões e 200 mil cabeças. A reabertura do mercado da China é vital para nossas exportações, explicou. Na conversa, Rocha pediu apoio da ministra nesta e em várias outras questões, que envolvem nossa produção.



No mesmo dia, o senador Marcos Rogério e o deputado estadual Laerte Gomes, também percorreram os mesmos corredores, reunindo-se com a mesma Tereza Cristina. Segundo publicou Laerte nas redes sociais, o tema central foram “investimentos para o setor produtivo de Rondônia”.

O parlamentar também relatou à ministra sobre projeto de sua autoria, que beneficiou grande número de produtores do Estado, que agora podem alienar seu rebanho bovino, para obter crédito rural. Já na sexta-feira, outra audiência com a ministra da Agricultura, desta vez solicitada pela deputada Jaqueline Cassol, para tratar da grave situação dos produtores de leite no país. Resultados? Em breve saberemos…

MARCOS ROGÉRIO FORTALECE SUA CANDIDATURA E TEM DOIS NOMES FORTES PARA O SENADO



Considerado um fortíssimo candidato ao Governo, o senador Marcos Rogério continua articulando seu grupo político, visando viabilizar sua postulação. Já há nomes importantes se unindo ao projeto do novo presidente regional do PL, o partido que é o mesmo do presidente Jair Bolsonaro.

Por enquanto, as adesões são positivas, mas mais à frente Rogério enfrentará uma dificuldade importante, em relação à candidatura ao Senado, do seu grupo. O primeiro nome, muito próximo ao candidato ao Governo, é o do ex-senador Expedito Júnior, sempre bom de voto, amigo e parceiro político de Marcos Rogério. Na última eleição, os dois formaram uma dobradinha, com Expedito concorrendo ao Governo e o representante de Ji-Paraná ao Senado.

Desde lá, estão juntos. Ocorre que está chegando ao partido outro nome muito forte, o do grande empresário Jaime Bagattoli, de Vilhena, do alto dos seus 212 mil votos ao Senado em 2018. Marcos Rogério terá que usar toda a sua experiência de diálogo e jogo de cintura para conciliar todos os interesses de duas lideranças do Estado, uma, como Expedito, há muito mais tempo e Bagattoli, que começou há apenas quatro anos.

Vendo pelo lado positivo, pode-se dizer que ter dois candidatos com este potencial de votos, não é algo fácil na nossa política. Lançar os dois pode ser um risco, contudo. O MDB já provou desse veneno, quando colocou na disputa Confúcio Moura e Valdir Raupp.

VINICIUS MUDA DE PARTIDO PARA DISPUTAR O GOVERNO PELO PSB DE MAURO NAZIF



O advogado e professor Vinicius Miguel decidiu mudar de partido e manter sua candidatura ao Governo. Na sexta-feira, assinou ficha no PSB, comandado no Estado pelo deputado federal Mauro Nazif e torna-se, então, o nome mais viável da nova sigla a tentar ocupar o Palácio Rio Madeira/CPA.

Com a decisão, Vinicius abre mão do comando regional de uma agremiação ainda considerada pequena, o Cidadania, para ser um membro comum num partido que, tanto em Rondônia como em nível federal, tem uma importante representatividade. Do alto dos seus mais de 110 mil votos na última disputa ao Governo e dos 70 mil apenas em Porto Velho, onde foi o mais votado, Vinicius se coloca como um nome com base eleitoral forte na Capital, mas também apoios no interior, principalmente no mundo dos que estão mais à esquerda e, mais ainda, no meio universitário.

Professor da Unir, onde tem grande prestígio entre seus colegas e alunos, Vinicius tem o que debater e mostrar, numa campanha eleitoral dura como a que se aproxima. Nos próximos dias, se saberá com mais segurança sobre os próximos passos a serem dados, antes da oficialização do nome de Vinicius para a disputa ao governo rondoniense.

GOVERNADOR ABRIU SEGUNDA EDIÇÃO DO FÓRUM DE PREFEITOS E VEREADORES, FALANDO EM UNIÃO E DESENVOLVIMENTO



Antes do encontro político deste sábado, houve outro encontro importante na Capital, na mesma Talismã. Foi o IIº Fórum dos Prefeitos e Vereadores do Estado de Rondônia. Debates sobre a administração municipal, palestras, troca de experiências e parceria entre Estado e municípios foram a tônica do encontro.

O governador Marcos Rocha abriu o Fórum, destacando “a união de esforços com o foco no desenvolvimento de Rondônia”. Durante a abertura, projetos do Governo estadual, como Tchau Poeira, Governo na Cidade, Governo do Campo, Programa de Microcrédito Produtivo Orientado de Rondônia – Proampe e demais obras públicas de infraestrutura de estradas, foram destacadas por Rocha, afirmando que elas fortalecem a qualidade de vida dos rondonienses, em todos os recantos do Estado.

O fortalecimento das ações municipalistas para fomentar nossa economia, foram aspectos também destacados no encontro. Entre as inúmeras autoridades presentes, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Alex Redano e sua esposa, a prefeita de Ariquemes, Carla Redano; o prefeito Hildon Chaves e a primeira dama da Capital, Ieda Chaves; o chefe da Casa Civil Júnior Gonçalves; praticamente todo o secretariado; vários deputados e dezenas de prefeitos e vereadores. O primeiro encontro, também na Capital, havia sido realizado em novembro do ano passado.

O VÍRUS AINDA ESTÁ AÍ: EM TRÊS SEMANAS, APENAS UM DIA SEM NENHUMA MORTE EM RONDÔNIA



O assunto saiu da primeira página, como se dizia nos tempos em que a mídia impressa ainda tinha algum poder. A verdade é que a guerra na Ucrânia, causada pela Rússia e o noticiário da política local e nacional, tiraram do destaque a pandemia do Coronavírus, como se ela tivesse acabado. Não acabou, claro.

Ainda há grande número de contaminados e, pior que tudo, muitas vidas perdidas. Nas últimas três semanas, por exemplo, houve apenas um Boletim da Sesau com nenhum óbito registrado e foi num domingo, dia em que os números reais geralmente não chegam a temo, para serem computados. As mortes caíram muito, claro, em relação à crise dos piores momentos da doença, mas ainda há um perigo muito grande, que não pode ser ignorado.

O total de óbitos diminuiu, mas jamais acabou. Pegando como exemplo o Boletim 721, da última sexta-feira: foram 841 novos contaminados e nada menos do que sete mortes. Graças à vacinação (mais de 2 milhões e 700 doses), o total de internados caiu. Estava em 67 doentes.

Mas não se pode ignorar os mínimos cuidados, porque o vírus continua entre nós. Rondônia já perdeu 7.164 vidas, sem contar os Boletins do final de semana, enlutando centenas e centenas de famílias de tantos entes queridos que se foram. Muito cuidado, ainda, portanto!

TEM O LADO BOM: PELA PRIMEIRA VEZ EM 20 MESES, ESTAMOS FORA DA ZONA DE ALERTA PARA A COVID 19



De outro lado, nem tudo são más notícias sobre a situação atual da pandemia, tanto em Rondônia quanto no restante do país. Se formos computar os dados da doença em nível nacional, pode-se registrar que pela primeira vez, desde julho de 2020, ou seja um ano e oito meses depois, o Brasil está fora da zona de alerta para a Covid 19.

Segundo a Fiocruz, todos os Estados brasileiros estão com taxa de ocupação de leitos hospitalares, abaixo dos 60 por cento. Em Rondônia, por exemplo, a sexta-feira apontava que do total de leitos disponíveis, apenas 33 por cento estavam ocupados. O número de pessoas internadas nos nossos hospitais e em UTIs, somava 67 pessoas contaminadas pela doença. A explicação deste momento em que o pior da crise parece ter passado, na maioria dos países mundo afora, é, claro, a vacinação em massa.

No país inteiro, por exemplo, 83,8 por cento de toda a população apta à imunização, já recebeu ao menos uma dose. Outros cerca de 75 por cento já receberam a segunda dose e são considerados totalmente vacinados. Mas tem mais: outros 35 por cento da população tiveram ainda, como reforço, a dose extra das vacinas. O Brasil é o quarto país do mundo em percentual vacinado de todos os seus habitantes, entre os que deveriam receber os imunizantes. Em Rondônia, até agora, já foram aplicadas mais de 2 milhões e 700 mil doses.



PERGUNTINHA

Você já acompanha as questões do dia a dia da política, dos políticos e as informações sobre a eleição deste ano ou só vai se preocupar com o assunto quando começar de fato a campanha eleitoral, em agosto?

Fonte: Por Sérgio Pires
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem