Dez municípios de MT concentraram 42% do desmatamento



Foram desmatados 803 km², entre 2020 e 2021; Estado é o 5º lugar na destruição do bioma

Porto Velho, RO - Dez municípios de Mato Grosso concentraram 42% do desmatamento do Cerrado entre agosto de 2020 a julho de 2021. É o que diz nota técnica elaborada pelo Instituto Centro de Vida (ICV), que visa elucidar as particularidades do desflorestamento do bioma.

Os municípios se concentram principalmente nas regiões Centro-Sul e Nordeste do estado.

Ao todo, foram desmatados 803 km² durante o período, o que fez com que Mato Grosso ocupasse o 5º lugar entre os estados que mais destruíram o Cerrado.

A nota foi elaborada com base em mapeamentos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Documento também demonstrou que o desmatamento total do bioma chega aos 8,5 mil km², o que equivale a quase seis vezes a cidade de São Paulo.

“A destruição do Cerrado no estado continua associada a práticas ilegais. Do total mapeado em 2021, apenas 16% foi realizado em áreas com autorizações para desmate ou para supressão de vegetação válidas emitidas pelo órgão ambiental estadual”, diz trecho
do documento.

O município com a maior área de Cerrado desmatada em Mato Grosso foi Cocalinho (a 780 km de Cuiabá), com 59 km² de novas áreas abertas.

Em seguida aparecem, pela ordem, os municípios de Ribeirão Castanheira, Rosário Oeste, Paranatinga, São Félix do Araguaia, Novo Santo Antônio, Nova Xavantina, Campos de Júlio, Araguaiana e Nossa Senhora do Livramento.

A análise demonstrou que a maior parte do desmatamento, cerca de 580 km² de áreas degradadas, ocorreu em imóveis rurais inscritos no Cadastro Ambiental Rural (CAR), seguido pelos assentamentos, com 101,4 km², e áreas não cadastradas, com 100,1 km².

“Cerca de 70% de toda a área de Cerrado destruída ilegalmente em imóveis rurais cadastrados se concentrou em apenas 300 imóveis, o que representa menos de 1% do total de imóveis no Cerrado mato-grossense”.

TERRITÓRIOS INDÍGENAS

Desmatamento em terras indígenas no Cerrado mato-grossense mais que dobrou durante o período analisado, se comparado ao ano anterior.

Enquanto no ano anterior 8 km² foram desmatados, número chegou aos 17 km² atualmente.

Área mais afetada foi a terra indígena Sangradouro/Volta Grande, habitada pelas etnias Bororo e Xavante.

Terra está localizada entre os municípios de Poxoréu e General Carneiro.


Fonte: Da Redação DC
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem