AJUSTANDO: Bolsonaro cresce mais 2 pontos na primeira pesquisa Ipespe de março

Jair Bolsonaro, presidente da República (REUTERS/Ueslei Marcelino)

Porto Velho, RO
- O presidente Jair Bolsonaro (PL) cresceu dois pontos percentuais na rodada da primeira quinzena de março da pesquisa Ipespe de intenções de voto nas Eleições Gerais de 2022. A variação ficou dentro da margem de erro, mas ainda assim ele voltou para perto de seu melhor patamar na disputa eleitoral. O levantamento foi encomendado pela XP Inc.

No cenário estimulado para o primeiro turno (quando o eleitor escolhe seu candidato entre opções apresentadas pelo pesquisador), o presidente subiu de 26% há duas semanas para 28% agora. Houve crescimento de 4 p.p. na comparação com as pesquisas realizadas em dezembro e janeiro.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve os 43%, 15 p.p. à frente de Bolsonaro. Ciro Gomes oscilou de 7% a 8%, Moro manteve os 8% e Doria, 3%. Seguem ainda André Janones (1%), Eduardo Leite (1%) e Simone Tebet (1%). Luiz Felipe D’Ávila e Alessandro Vieira não chegaram a 1%.




Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional, nos dias 7, 8 e 9 de março. A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-03573/2022. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.

O índice de confiança é de 95,5% (o que significa que se a pesquisa fosse realizada 100 vezes, em 95 delas o resultado ficaria dentro da margem de erro).


Pesquisa espontânea

Na pesquisa espontânea (quando o eleitor aponta seu candidato sem que nomes sejam apresentados pelo pesquisador), Lula oscilou de 35% para 36%, e Bolsonaro foi de 25% para 26% — é a terceira pesquisa consecutiva de oscilação positiva do presidente.



Moro ficou com 5%, enquanto Ciro chegou a 4%. Doria teve 1% das intenções de voto nesse cenário. Boulos e Felipe D’Ávila não chegaram a 1%. Brancos e nulos somaram 4% e o percentual de entrevistados que não sabem ou não responderam ficou em 24%.


Segundo turno

No segundo turno, a pesquisa mostra uma vantagem de 20 pontos percentuais para Lula (53%) contra Bolsonaro (33%). O ex-presidente também vence contra Moro (51% a 30%), contra Eduardo Leite (55% a 17%), contra Doria (53% a 18%) e contra Ciro (50% a 25%).


Já Bolsonaro perderia para Ciro no segundo turno, por 47% a 36%. Na disputa com Doria, o presidente teria 37% das intenções de voto contra 38% do governador de SP. Moro e Bolsonaro empatariam no segundo turno com 33%. Já contra Eduardo Leite, o presidente venceria no segundo turno por 40% a 35%.
Coronavírus e avaliação do presidente

A pesquisa mostra que 15% dos brasileiros estão com muito medo do coronavírus, ante 23% no levantamento anterior. Esse é o menor percentual registrado desde que a pergunta foi incluída nas pesquisas do Ipespe encomendadas pela XP Inc., em fevereiro de 2020, ainda antes do espalhamento da pandemia no Brasil. O percentual daqueles que dizem não estar com medo foi a 48%, 10 p.p. acima da pesquisa feita há duas semanas.

A avaliação positiva de Bolsonaro quanto ao tema subiu de 25% para 28%, enquanto a avaliação negativa caiu de 56% para 54%. Enquanto isso, a avaliação do presidente em geral subiu de 25% para 27%, melhor patamar desde maio de 2021, e sua avaliação negativa oscilou de 53% para 52%, melhor índice para o governo de Bolsonaro desde julho de 2021. Ambos melhoraram para o presidente pelo terceiro levantamento consecutivo.

A pesquisa mostrou ainda que 97% dos brasileiros tomaram conhecimento do conflito entre Rússia e Ucrânia e que 56% acreditam que a Ucrânia que tem mais razão. 48% acreditam que o posicionamento de Bolsonaro no conflito está parcialmente ou completamente errado ante 42% que acreditam que está parcialmente ou totalmente correto.

De toda forma, 62% acreditam que o Brasil não deve apoiar qualquer um dos lados, 29% dizem que o país deveria apoiar a Ucrânia, 2% a Rússia e 7% não souberam responder.

Fonte: Infomoney
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem