Sala de Situação da Sedam amplia o monitoramento ambiental em Rondônia

Dados são coletados para informar órgãos competentes

Porto Velho, RO - Com o intuito de ampliar o monitoramento ambiental de Rondônia, a Coordenadoria de Geociências (Cogeo), da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), tem um novo laboratório. A Sala de Situação consiste no monitoramento de eventos climáticos, hidrometeorológicos críticos, segurança de barragens e desmatamento, bem como queimadas ilegais no Estado.

A Sala de Situação da Sedam é um centro de monitoramento de eventos hidrometeorológicos, e tem como objetivo subsidiar a tomada de decisões dos gestores estaduais e nacionais, por meio do acompanhamento das condições hidrológicas, meteorológicas e climáticas e, assim, identificar possíveis ocorrências de eventos críticos, permitindo assim a adoção antecipada de medidas moderadas para a minimização dos efeitos de secas e inundações no Estado.

O assessor de governança climática, Diogo Martins Rosa, explica que “o monitoramento dos eventos hidrometeorológicos tem como base a análise dos dados climáticos, meteorológicos, hidrológicos feito pelos técnicos da sala de situação.

Os resultados analisados são enviados em forma de boletins ou de alerta. Da mesma forma, o e monitoramento dos focos de calor, queimadas e do desmatamento, é realizado em todos os municípios do Estado sendo informados aos órgãos competentes de combate e controle desses ilícitos ambientais”.

Diogo também explica que a reestruturação da Sala de Situação tem como objetivo aumentar a capacidade de processamento dessas informações por meio de recursos do Governo Federal e do Governo de Rondônia foi possível adquirir computadores de alta performance que ampliam o processamento de dados, a compilação das informações e a eficiência na emissão de alertas.
Além disso, foram adquiridos nove telas (vídeo wall) para o monitoramento em tempo real no Estado.


Sala de Situação tem como objetivo aumentar a capacidade de processamento das informações

O coordenador de geociências, Guilherme Vilela, reforça que todo o trabalho desenvolvido pela Sala de Situação da Sedam, é o primeiro passo para prever acontecimentos climáticos, além dos já citados, e também o monitoramentos de ilícitos ambientais.

“O levantamento todo é feito aqui. Daqui, os órgãos de fiscalização irão ao ponto crítico de maneira eficiente. Prevemos os possíveis acontecimentos que afetarão nosso meio ambiente e aí sim conseguimos planejar um trabalho que mude o cenário previsto. Aqui é o caminho inicial para novas soluções”, afirma o coordenador.

Fonte: SECOM
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem