PF investiga grupo suspeito de fraudar R$ 60 milhões da Previdência

O valor é referente aos 420 benefícios fraudulentos constatados pela Polícia Federal.

Porto Velho
A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (16), a Operação Errantes para desarticular organização criminosa especializada na prática de fraudes à Previdência Social. De acordo com as investigações, o grupo criminoso é suspeito de ter gerado prejuízo de cerca de R$ 60 milhões ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

O valor é referente aos 420 benefícios fraudulentos constatados pela Polícia Federal. Estima-se que o prejuízo evitado, levando-se em conta os valores que continuariam sendo pagos aos beneficiários, seja de aproximadamente R$ 100 milhões.

Mais de 150 policiais federais, com o apoio do Núcleo de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (Nuint), cumprem 24 mandados de prisão preventiva e 32 mandados de busca e apreensão nas cidades de Petrolina (PE), Tabira (PE) e Filadélfia (BA).

Durante as buscas, os policiais localizaram grande quantidade de catões de crédito, documentos falsos, cheques, joias, relógios, armas e munições.

Modus operandi

Os investigados são suspeitos de criarem pessoas fictícias para a obtenção indevida do Benefício de Prestação Continuada (BPC), valor de um salário mínimo pago pelo INSS a pessoas com mais de 65 anos ou portadoras de deficiência.

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem