Da gaze à escovinha: como cuidar dos primeiros dentes do bebê



A higienização deve começar antes do nascimento dos primeiros dentinhos e se intensificar com a chegada deles.| Foto: Arquivo pessoal/Vanessa Gelbcke

Porto Velho, RO - Com 10 dentinhos, o pequeno Mathias Gelbcke da Cruz — de um ano e três meses — se diverte escovando os dentes após as refeições e já está preparado para sua segunda consulta ao dentista. “Levamos ele pela primeira vez com seis meses e meio, quando tinha só dois dentinhos na parte inferior”, conta a mãe Vanessa Raianna Gelbcke, que fez questão de colocar em prática as orientações que recebeu.

“Tento escovar os dentinhos do Mathias três vezes ao dia, massageio a gengiva dele e deixo ele ver quando escovamos nossos dentes para que aprenda e queira imitar”, relata a curitibana. Além disso, “ele continua mamando no peito, cuidamos da alimentação dele, não damos nem refrigerante, nem doces”, completa.

Esses cuidados, de acordo com a odontopediatra Izabela Taiatella, são essenciais para a saúde bucal da criança e trazem mais tranquilidade à família. “Afinal, bebês já podem ter cáries — que começam com uma mancha branca e opaca — e sofrem muito com o tratamento”, alerta a especialista, ao indicar que os pais iniciem os cuidados antes mesmo do nascimento dos primeiros dentes.

Segundo ela, o ideal é que a primeira consulta odontológica ocorra ainda na gestação para que pai e mãe estejam preparados após o nascimento do bebê. “Assim, receberão informações a respeito da amamentação, dos hábitos nocivos para a saúde bucal e de como higienizar a boquinha do recém-nascido”, afirma Izabela.

Como limpar a boquinha do bebê

Essa “limpeza”, de acordo com ela, é realizada suavemente com o auxílio de uma fraldinha ou gaze umedecida em água filtrada. “O objetivo é habituar a criança à manipulação oral para que não rejeite a higienização depois que os dentinhos nascerem”, explica a odontopediatra, ressaltando que não é necessário esfregar a gengiva do recém-nascido na tentativa de remover resíduos, pois ele ainda não come alimentos sólidos.

Além disso, a dentista incentiva os pais a levarem o bebê ao consultório odontológico antes mesmo da irrupção do primeiro dente para receberem orientações com antecedência a respeito da introdução alimentar e da importância de restringir o consumo de açúcar para prevenir cáries. Sem contar que “o especialista mostrará as características normais da gengiva e mucosa, ajudando na identificação de alterações e dando dicas de como lidar com a chegada dos dentinhos”.

Os pais devem levar o bebê ao consultório odontológico antes mesmo da irrupção do primeiro dente para receberem orientações. Foto: Arquivo pessoal/Vanessa Gelbcke

Dentinhos nascendo

Porém, a odoentopediatra Izabela adianta que essa fase não é fácil. Isso porque os bebês costumam apresentar salivação excessiva, falta de apetite e irritabilidade durante o nascimento dos dentes, que costuma ocorrer entre seis meses e três anos.

“E eles sentem muita necessidade de morder para ajudar a coçar a gengiva”, cita ela, que indica o consumo de bebidas e alimentos frios, massagem suave na gengiva e uso de mordedores colocados na geladeira. “Mas nunca use géis ou pomadas anestésicas”, recomenda.

Ao mesmo tempo em que esses sintomas aparecem, começa também a necessidade de limpar os novos dentinhos com uma escova de cerdas macias que tenha tamanho adequado à boca do bebê. “Sempre realizando movimentos circulares e de ‘vai e vem’ por toda a superfície dos dentes”, ensina a especialista.

“Lembrando que a pasta dental deve conter flúor e que a quantidade é de apenas meio grão de arroz para crianças com até dois anos e de um grão de arroz para os pequenos com até seis anos”.

E realizar a escovação adequada exige uma boa dose de paciência. No caso do pequeno Mathias, por exemplo, ele se diverte com sua escovinha, mas quer fazer tudo sozinho, sem deixar que os pais realizem os movimentos corretos. “Aí, como nem sempre ele quer abrir a boca, temos que insistir e acabamos ouvindo choro”, conta a mamãe Vanessa.

Introdução alimentar do bebê sem carne? Isso é possível, mas exige cuidado

No entanto, a dentista Izabela garante que esse esforço vale a pena e que os pais não devem desistir. “Lembre que essa é uma fase passageira e que render-se ao choro pode favorecer o aparecimento de doenças bucais”, afirma Izabela, ao garantir que os cuidados desde o nascimento aliados a algumas dicas podem facilitar bastante essa tarefa.

Tenha calma e tranquilidade: realize a higienização em momentos tranquilos do dia. O horário do banho é uma boa opção para isso, já que os bebês estão mais relaxados. Além disso, a escovação pode ser realizada no sofá, ao ligar a televisão no desenho preferido da criança, ou quando ela estiver brincando.

Torne o momento divertido: é importante fazer com que a hora de escovar os dentes seja alegre. Para isso, invente histórias, cante músicas e deixe a criança ajudar com uma escovinha a mais que ela possa morder e brincar. Depois que ela mesma “escovar” os dentes, você continua.

Dê o exemplo: os bebês aprendem muito pela imitação, então escove seus dentes e use o fio dental na presença da criança. Ela prestará atenção e vai querer repetir.

Não desista: lembre que o choro é uma reação natural dos bebês, pois a manipulação da boca pode ser uma atitude invasiva para alguns. Então, tenha calma e tente de novo.

Fonte: Por Raquel Derevecki
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem