Revoada do PL com saída de Luiz Claudio; A ausência do governador; Bancada federal crítica Marcos Rogério

A íntegra da coluna redigida pelo jornalista Robson Oliveira

Porto Velho, RO - PL - Após a filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL, presidido pelo ex-deputado Valdemar Costa Neto, supostamente mensaleiro, a legenda passou a ser disputada nos estados pelos bolsonaristas. 

Em Rondônia, por exemplo, o senador Marcos Rogério deverá ser o novo donatário do partido em substituição ao ex-deputado federal Luiz Claudio.


REVOADA

A reunião que sacramentou a defenestração do ex-deputado foi tranquila, mas Luiz Claudio informou à coluna que vai avaliar os cenários e buscar uma nova legenda que possa lhe proporcionar uma candidatura a deputado federal sem atropelos nem manobras sorrateiras. 

A maioria dos dirigentes municipais do PL rondoniense seguirá o ex-deputado e deve se desfilar do partido.

AUSÊNCIA

Não passou despercebida a ausência do governador Marcos Rocha (União Brasil) na posse dos novos dirigentes do Tribunal de Justiça de Rondônia. É a primeira vez que um chefe de governo de Rondônia ignora a posse do presidente do Poder Judiciário, uma postura que revela a forma descortês com que o governador trata os demais poderes. 

Assumiram os cargos diretivos do TJ os desembargadores Marcos Alaor Diniz Grangeia (presidente), Osny Claro de Oliveira Junior, vice-presidente, José Antonio Robles, corregedor geral.

ANTIPATIA


É enorme a repulsa pela qual o senador Marcos Rogério tem provocado entre seus pares na bancada federal de Rondônia. Quando instados para falar sobre o comportamento do senador quase todos os colegas tecem críticas ácidas ao Marcos Rogério. Publicamente, evitam criticar, mas também não elogiam. 

O senador que não tem nada de otário ao perceber o descontentamento generalizado começa a se distanciar de uma eventual candidatura a governador para pavimentar uma vaga na reforma ministerial que o presidente Jair Bolsonaro será compelido a fazer em razão dos ministros que disputaram as eleições 2022. 

Nos bastidores brasilienses o nome de Marcos Rogério sempre está entre aqueles que podem virar ministro quando as mudanças começarem.

VIOLÊNCIA


Um estudo elaborado por um grupo de professores e especialista da Universidade Federal de Rondônia sobre violência em nosso estado, revela dados estarrecedores que nunca são divulgados à sociedade.

Para se ter uma ideia da brutalidade, Rondônia figura vergonhosamente em primeiro lugar em roubo, segundo lugar em violência doméstica e estupro, e quarto lugar em homicídio. 

São dados vexatórios para um governo que tem como mandatário um coronel que respondeu por alguns anos pela política carcerária estadual e, em tese, conhece (ou deveria) bem a área da segurança pública. 

Os dados tabulados pelos docentes da Unir são muito significativos e demonstram que as ações governamentais na área são pífias para conter a violência, em particular contra as mulheres e vulneráveis.

FAKE


É impressionante como os partidários do presidente Jair Bolsonaro multiplicam a distribuição de fake news, inclusive autoridades. A última bobagem inverídica anuncia que o presidente tenha sido eleito a personalidade do ano pela revista Time. 

A verdade é que a revista norte-americana elegeu como personalidade do ano o homem mais rico do mundo, o multibilionário Elon Musk. De acordo com as regras da premiação, o título é conferido a quem mais influenciou os acontecimentos dos últimos 12 meses. 

Exceto os mais avexados bolsonaristas, ninguém de juízo perfeito levou a sério a fake de que Bolsonaro seja uma figura importante no contexto internacional. Exceto pela alienação mental.

AUTOFAGIA


A subprocuradora-geral da república, Sandra Cureau, foi às redes sociais, nesta terça-feira, para criticar as candidaturas de Sérgio Moro e do ex-colega de MPF, Deltan Dallagnol, ambos filiados ao Podemos. Na postagem a procuradora diz: “Estou constrangida pela postura dos dois. 

Enfim, era isso o que pretendia a República de Curitiba? Uma carreira política? Se era, temos que concordar que obraram bem no sentido de se tornarem conhecidos. Quem já ouviu falar deles antes?”, escreveu. 

É uma manifestação de alguém do próprio MPF, não é de um militante de esquerda, o que demonstra o clima interno hostil da instituição após os acontecimentos que se sucederam com a divulgação dos diálogos juridicamente reprováveis entre o juiz e membros da força tarefa.

OMISSÃO


Pouco adiantou a posição omissa do Governo de Rondônia quanto à proposta de adoção do passaporte vacinal para quem ingressa no território nacional. 

O STF, liminarmente, obriga o governo a exigir o documento aos cidadãos que visitam o país. Outra obrigatoriedade é a exigência da vacina para entrar nas repartições públicas.

GENOCÍDIO

Marcos Rocha tem seguido fielmente as orientações do governo federal contra as recomendações científicas para conter a contaminação pelo coronavírus. Inclusive quando foi às ruas distribuir o denominado Kit Covid, foi criticado majoritariamente pela comunidade científica. 

Por coincidência, o estado de Rondônia, campeão em entrega de kit covid foi, proporcionalmente, o primeiro em óbitos decorrentes do corona.

ARTICULADOR


Quem acompanhou os bastidores da escolha da lista sêxtupla para desembargador federal destinada ao quinto constitucional para o TRF1, sendo escolhida entre os indicados a advogada rondoniense Rebeca Moreno da Silva, de Ji-Paraná, sabe que toda a articulação para que ela constasse na lista do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil foi o conselheiro federal Andrey Cavalcanti. Carismático, rápido nas conversas de “pé de ouvido” e bem influente em Brasília. 

Portanto, não será zebra ele conseguir que a pupila seja escolhida para o cargo de desembargadora federal.

Fonte: Por Robson  Oliveira, 15/12/2021
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem